Comemoração do Dia do Advogado teve até gogo boys e strippers – foi na OAB de Nova Iguaçu (RJ)


 Comemorações eróticas

Uma curta mas instigante nota, hoje (3), na sempre muito lida coluna de Ancelmo Gois, no jornal O Globo.

Diz assim:

SAFADINHOS

Sabe como foi a festa de comemoração do Dia do Advogado promovida pela Subseção da OAB/RJ de Nova Iguaçu?

Com gogo boys e strippers.”

• Fechado às segundas

O vice-presidente Hamilton Mourão anda mais recolhido, mas não de todo.

Deu ontem (2), às 23h., uma entrevista para Roberto D'Avila, na Globonews, às 23h, comentando a penúria que atinge a administração pública. Mais especificamente, as Forças Armadas.

Mourão revelou que “desde ontem, o Exército não funciona mais às segundas-feiras por falta de dinheiro”.

• Tabagismo feminino

A tendência histórica de aumento nas taxas de mortalidade por câncer de pulmão entre as mulheres brasileiras só vai parar de crescer em 2030 – estima o Instituto Nacional de Câncer - Inca, em pesquisa feita com o Ministério da Saúde.

Em 2017, último ano com dados completos disponíveis, foram registradas no Brasil 11.792mortes de mulher por câncer de traqueia, brônquios e pulmões.

De acordo com o Inca, “a estabilização na taxa de mortalidade é uma consequência da diminuição da taxa de prevalência do tabagismo entre as pessoas do sexo feminino”. A cada ano o percentual de mortalidade por esta causa, no Brasil, cai entre os homens e cresce entre as mulheres.

• Juizite

Volta e meia tem disso. O TRF da 2ª Região (que abrange Rio de Janeiro e Espírito Santo) vai adquirir dois carrões para uso da presidência da corte, cujo titular é o desembargador federal Reis Friede. A um custo de R$ 494 mil serão comprados dois Santa Fé, da Hyundai, para tranquilos deslocamentos presidenciais pelas ruas cariocas.

Com 70 de idade, Friede é o integrante da corte que apresenta o perfil mais discreto, com raríssimas manifestações públicas.

• A propósito

Lembram do Espaço Vital de terça-feira passada? Pois o TRF supra é o mesmo que está gastando R$ 12 milhões para comprar outros 27 automóveis para os demais desembargadores e fazer uma reforma geral no mobiliário da corte, incluindo originais “cadeiras de juiz”, cada uma destas a um custo unitário de R$ 3.300.

Tratando-se de um tribunal federal, tudo é pago pelo nosso, pelo seu, pelo meu dinheiro.