“Quero comer filé”


Por Carlos Alberto Bencke, advogado (OAB-RS nº 7.968)

O juiz abre a audiência de conciliação – Rudolph de um lado, Meslena de outro – e pergunta: “Vocês mantêm o pedido de divórcio?”

- Eu nem queria, mas ele quer – diz Meslena, apontando para Rudolph. Tudo porque saio às quartas e vou no baile com as amigas e depois durmo na casa delas para não incomodar o sono dele...

Meslena não é nenhum modelo de beleza. Pelo contrário. Cabelos com a raiz esbranquiçada e o resto loiro palha; pernas cambotas; jeito resoluto, apesar da baixa estatura.

Rudolph, bem mais velho, jeito de mecânico, cheirando a graxa patente, óculos de lentes grosas, caladão. E calado fica na audiência.

O juiz anuncia: “Vou decretar o divórcio de vocês!”

Rudolph então surpreende: “Doutor, me desculpe, mas não quero mais me divorciar. Pensei melhor”.

O advogado dele, surpreso, faz a pergunta que não deveria ter feito: “Por que, seu Rudolph?”

O suposto divorciando fala com toda a franqueza:

- Estou velho, não vou conseguir mais uma companheira como ela. Prefiro comer filé com os outros do que carne de pescoço sozinho.

A rádio-corredor forense informou, atualizadamente, na semana passada: “Os dois vivem felizes. Ela continua saindo às quartas, mas volta de madrugada para dormir em casa. E segue servindo filé no almoço e no jantar”...