Mulheres já são maioria na advocacia gaúcha!


[1ja]  Elas à frente no RS !

Entrementes, na sexta passada (12) a advocacia gaúcha estabeleceu uma faceta de gênero. Na OAB-RS, pela primeira vez na sua história de 87 anos e três meses (fundação em 11.4.1932), as mulheres passaram a ser maioria entre os profissionais inscritos.

Elas são 41.967 – exatamente 18 a mais do que os advogados do gênero masculino (41.949). Somadas, as inscrições totalizam 83.916.

Por sua vez, as estagiárias da advocacia gaúcha já são maioria há mais de dois anos: 941 x 782.

A propósito, na Ordem gaúcha as advogadas têm expressiva maioria na faixa das recém admitidas (até 25 de idade) na entidade e também entre as que têm de 27 a 40 anos. O contingente masculino tem maior predominância na faixa etária dos 41 aos 59.

Nacionalmente, as mulheres advogadas já são maioria também em mais sete outros Estados: Bahia, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Pará, Rio de Janeiro e Rondônia.

Mas, computadas as 27 seccionais, permanece a predominância do gênero masculino: 582.134 x 565.279.

[2ja] Aperto nacional de advogados

Segue próspero o faturamento – devidamente tributado – de seleto grupo da advocacia (maciçamente masculina) que defende criminosos (políticos, empresários e outro$$$) enrolados com a Lava-Jato. Mas não está fácil a vida profissional para quem pratica a lide do direito mais formal, sujeita, naturalmente, à morosidade do Judiciário e à diminuição da clientela.

É que, entre março de 2018 e o mesmo mês de 2019, subiu de 20% para 45% o calote dos advogados brasileiros à anuidade das seccionais da OAB.

Ante os números oficiais nacionais – datados de ontem (15) - de 1.147.398 advogados inscritos em todo o país (entre eles, os que estão suspensos), exatamente 516.329 estariam inadimplentes.

[3ja] O crime compensa...

Justo dentro de um mês e um dia – isto é em 17 de agosto – Antonio Palocci poderá passar para o regime aberto. Só está faltando ele conseguir trabalho.

Alguém beneficiado, outrora, com sobre preços e aditamentos contratuais se habilita, para dar uma tardia reciprocidade ao ex-médico?

 [ja!] Ficha corrida

Em 26 de setembro de 2016 Palocci foi preso pela Polícia Federal do Brasil, a pedido desta e chancelada pelo juiz Sérgio Moro, na 35ª fase da Lava Jato, batizada de "Omertà".

Nesta mesma operação foi determinado o bloqueio de R$ 128 milhões em contas do ex-ministro, mas foram localizados R$ 61,7 milhões, sendo R$ 30 milhões da empresa Projeto Consultoria Empresarial Financeira, e os outros R$ 31 mi em contas de investimento.

Em 26 de junho de 2017 saiu a sentença condenando o réu a 12 anos de prisão. Em 29 de novembro de 2018, em decorrência de sua delação premiada - que envolveu nomes como Lula e Dilma - Palocci passou a cumprir pena provisória em regime prisional semiaberto domiciliar.