Como funcionam os grandes escritórios de Advocacia


O blog N.E.D. (Não Entendo Direito) - criado por operadores do Direito e uma publicitária - lançou na web uma satírica análise sobre o funcionamento das maiores bancas advocatícias.

Os personagens são o sócio majoritário, o minoritário, os advogados associados, o estagiário com carteira da OAB e o estagiário novato.

A publicação realça a força do sobrenome. O minoritário sempre trata o majoritário como "pai", "tio" ou "benhê"...

Leia os principais tópicos.

* O sócio majoritário: sempre de bom humor, ganha rios de dinheiro explorando o trabalho escravo dos outros componentes da pirâmide social do escritório. Graças à sua reputação de excelente jurista, o escritório conquistou inúmeros clientes trilhardários, que mal sabem que ele só assina as petições e fica lendo jornal e fazendo contatos na sua mega sala GLX.

Passa o tempo viajando pelo mundo em “congressos” com a família e pendura todo diploma que ganhou em suas andanças pelas paredes do escritório para impressionar a moçada.

Seu maior prazer é prometer a direção do escritório aos sócios minoritários.


* O sócio minoritário: misteriosamente, sempre trata o sócio majoritário de “pai”, “tio” ou “benhê”. De sobrenome idêntico ao sócio majoritário que dá nome ao escritório, o sócio minoritário pega todos os consultivos que o majoritário não tem saco nem tempo para entender e delega tudo aos advogados associados, que por sua vez passam tudo para os estagiários, que:

1) claro, nunca tiveram aquela matéria;
2) nunca tiveram aquela matéria bem dada;
3) faltaram naquela aula;
4) como sabem a matéria, têm noção de que os advogados pretendem uma heresia jurídica.

O sócio minoritário larga o escritório às 18 horas para fazer as aulas da pós, com o orientador arranjado pelo “papi”. Seus maiores prazeres são prometer consultivos para os pobres associados, que nunca tiveram nem vão ter contato físico com os clientes, e esperar a morte do sócio majoritário.

* O advogado associado: dá um duro danado no escritório: hora extra não remunerada, leva trabalho para o fim de semana, tem estresse, estafa, início de calvície e impotência sexual. Leva o trabalho para os sócios analisarem e assinarem tudinho.

Em troca, ganha muito bem; como perdeu os amigos, a mulher e os filhos, sobra uma baita grana. Não tem a menor ideia do que fazer com toda a bufunfa no seu tempo livre: a hora do almoço.

Sua maior diversão é prometer passar “umas coisas” para os recém efetivados e rir das piadas infames de todos os sócios. É conhecido pelos demais como “sócio maiorotário”, mas só ele não sabe do apelido.

* A secretária: essa funcionária dedicou os últimos 30 anos (entregando a sua saudosa juventude) a “servir” o sócio majoritário. É figura intocável no escritório, assim como as bibliotecárias boazudas que, quando completam 26 anos, são sumariamente demitidas.

Seu maior prazer é puxar o saco dos sócios e tornar a vida de todos os outros um inferno.

* O estagiário com OAB: Normalmente é o mais elegante do escritório e se acha “O” advogado, enchendo o saco dos amigos com as “causas” lá do escritório. Despreza os outros estagiários; para mostrar seu enorme status, manda os pobrezinhos para os piores buracos possíveis: fóruns do interior, Justiça Federal, elevadores da Fazenda Pública Estadual, até busca e apreensão.

Tem certeza de que pode fazer muito melhor o trabalho dos advogados associados. Sua grande felicidade é dizer aos novatos, com ares de experiência, que “é assim mesmo” ou “no meu tempo era pior”.

* O estagiário novato: a vida dele é tão miserável que nem precisava fazer turismo em Tremembé. Só pega serviços externos o dia inteiro e se ferra na faculdade.

Seu conhecimento de pontos de ônibus é notável e é capaz de recitar na ordem todas as estações da linha “Corinthians-Itaquera”. Seu maior prazer é contar para os amigos que está “aprendendo muito” e que seu chefe já o elogiou na frente de um associado.

---

Não Entendo Direito

O advogado Livan Pereira é o dono do blog. Pós-graduado em Direito Tributário pela PUC Campinas, pós graduando em Gestão de Tributos e Planejamento Tributário pela Fundação Getúlio Vargas - FGV, bacharel em administração hoteleira, ex-servidor público federal, ele se diz "lindo, cheiroso, gostoso, inteligente, detentor de alto garbo e elegância ímpar, além de muito humilde".

A equipe é completada por Christian Oenning, estudante do curso de Direito da Universidade do Vale do Itajaí de Balneário Camboriú e estagiário da área cível e empresarial; Rafaela Schneider, formada em Publicidade e Propaganda, acadêmica de Direito, quer ser advogada rica ou juíza; Verônica Jardim, advogada em início de carreira, futura delegada, fascinada pelas corporações militares; Mariana Carvalho, advogada há mais de 15 dias, aprovada no 9º Exame da OAB, adora esportes, desde que possa praticá-los somente com a força do pensamento; Daiane Luz, curitibana, acadêmica do 9º. semestre de Direito da Universidade Positivo é também estagiária em escritório de Advocacia.

Acesse o blog