Triângulo amoroso


"Não houve união estável e descabe indenização por serviços prestados. A união estável é protegida juridicamente, porque se constitui em entidade familiar.
 
A apelante não era uma companheira, mas sim uma comborca, uma amante muito bem sustentada, formando inclusive um triângulo amoroso que contava com a participação de seu marido.
 
A situação não merece proteção jurídica e moral".

 
...........
De um acórdão de Câmara Cível do TJRS