Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira, 16 de novembro de 2018.

Distribuição de chupeta (s)



Charge de Gerson Kauer

Imagem da Matéria

Há um tititi na comarca de entrância final: um magistrado – em vias de ser promovido a desembargador – tem frequentes confrontos com advogados, nas audiências.

A “rádio-corredor” irradia, complementarmente, que tal juiz costuma “oferecer chupetas a advogados, a quem chama de chorões”. Mas, numa entrevista ao “Diarinho” – o principal jornal local - o juiz limita a abrangência dos “chorões” a “um choroso” só.

Textualmente, o magistrado confirma que houve uma representação contra ele no Tribunal de Justiça. “Mas o problema não era exatamente a chupeta. O que ocorreu foi que, numa audiência, eu disse: ´O senhor está chorando tanto…´ . E ofereci o bico. Mas foi para a parte” – diz ele.

O juiz ofertante prossegue na entrevista: “A justiça não tem amigos, ela tem interessados. Muitas vezes, a relação entre juiz e advogado não é das melhores. Porque o juiz fica dizendo ´não´ - e dizer ´não‘ não é fácil”.

Afinal, o magistrado admite ter havido uma representação de iniciativa da OAB, relatando que ele oferecera um bico a um advogado. “Mas foi provado que isso não era verdade e o processo foi arquivado” – diz ele.

O juiz detalha, sobre o caso confirmado, que se tratava de uma audiência sobre Direito de Família:

Então eu disse pra parte: ´O senhor tá chorando, pega esse bico´. Era um bico que uma criança tinha me dado de presente. Eu falei: ´Quem sabe o senhor pega esse bico e vai chupar, porque aqui o senhor tem que pagar pensão´. Era um médico que não queria pagar pensão alimentícia”.

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
Os fatos foram revividos ontem (18) por advogados catarinenses, numa busca ao baú forense da comarca de Itajaí (SC). O caso dos bicos – ou, pelo menos de um bico só – envolve o porto-alegrense de nascimento Eduardo Mattos Gallo Júnior, 50 de idade.

Magistrado de carreira, mais de 20 anos na profissão, desembargador do TJ de Santa Catarina desde 2017, ele foi defenestrado pelo Órgão Especial da corte, na última sexta-feira (15) por diversas infrações: Violência doméstica contra a esposa e assessoria jurídica de partes - que, no conjunto, foram considerados comportamentos antiéticos e violadores dos princípios do decoro.

Após punir Gallo com a “pena máxima” (???) de aposentadoria, o TJ de Santa Catarina foi prosaico numa publicação: “A matéria, no âmbito do tribunal está encerrada”. Mas o palavrório oficial tem ainda uma frase promissora: “O Ministério Público, se entender que tais fatos constituem mais que infrações administrativas, poderá promover ação para apurar eventual cometimento de ilícitos penais, com a possibilidade de o magistrado inclusive perder seu cargo público”.

Há controvérsias.


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Gerson Kauer

Perfume de segunda categoria

 

Perfume de segunda categoria

Após presidir a audiência de ação penal relativa a roubo à mão armada ocorrido em uma loja de perfumes, o elegante juiz é surpreendido com a pergunta desferida pela vítima: “Doutor, o senhor tem compromisso para hoje à noite?

Gerson Kauer

Casa de marimbondos

 

Casa de marimbondos

Após a vã tentativa de avaliar uma velha colheitadeira penhorada, o oficial de justiça certifica em minúcias: “Não pude me aproximar da máquina, pois na parte interna do teto da cabine tem uma casa de marimbondos do tamanho de uma caçamba de pampa, tendo este servidor medo de levar múltiplas ferroadas”.

Charge de Gerson Kauer

A política também tem essas coisas

 

A política também tem essas coisas

O José Teutônico um dia tornou-se político famoso. Seu gabinete estava recheado de assessores jovens, bonitos, bem vestidos, perfumados, alegres – às vezes até demais. De repente, ele divorciou-se da esposa socialite. E passou a ser conhecido como “Maninha”. O texto é do advogado Carlos Alberto Bencke.

Charge de Gerson Kauer

O salvamento da justiça

 

O salvamento da justiça

Apesar de advertido pelo colega de jurisdição, o magistrado embriagado lança-se ao rio, a pretexto de nadar. Começa a afogar-se, mas, felizmente, é salvo por circunstantes. Devolvido à terra firme, o juiz comemora em tom etílico: “A justiça foi salva! Homologo o acordo para que surta seus jurídicos e legais efeitos”...

Charge de Gerson Kauer

A primeira vez da juíza

 

A primeira vez da juíza

Literalmente a magistrada foi só, em seu próprio automóvel, para conhecer a casa onde aconteciam os embates de Eros, o deus do amor. Sem demora, numa suíte temática, ela constatou que a vedação acústica tinha problemas. O original caso teve desdobramentos no tititi da “rádio-corredor” da subseção da OAB local.

Charge de Gerson Kauer

A sogra, ou a soga?

 

A sogra, ou a soga?

“A ação de usucapião ajuizada no foro de cidade próxima ao litoral norte gaúcho se referia a uma pequena área de terra, que passou a ser valiosa porque a cidade cresceu para aqueles lados”. O texto é do advogado Carlos Alberto Bencke.