Ir para o conteúdo principal

Edição sexta-feira , 17 de agosto de 2018.

Duas autoridades e seus diferentes momentos no poder



Arte de Camila Adamoli sobre reprodução do Youtube (E) e foto Camera Press (D)

Imagem da Matéria

Por Marco Antonio Birnfeld, editor do Espaço Vital
123@espacovital.com.br

O Espaço Vital desta sexta-feira publica duas matérias sobre decorrências do poder no Brasil. Uma sobre as atividades dos “capinhas” que atuam no STF e que tem uma rotina de protocolos e mesuras a cumprir em atenção aos ministros da Casa.

A outra notícia aborda os gastos extravagantes com cafés, cafezinhos, máquinas de café expresso, etc. na Câmara Federal – onde a cara conta da segunda bebida mais consumida no Brasil é paga pelo bolso dos cidadãos.

Ontem (7) também repercutiram, nas redes sociais brasileiras, os contrastes entre os comportamentos e as posturas de dois cidadãos – um senhor e uma senhora - ambos reconhecidamente idôneos. As situações são diferentes; as reações epidérmicas deles também diferem; o homem é despojado.

Foi em Amsterdam, na Holanda, esta semana que, ao chegar ao Parlamento para uma jornada de trabalho, o primeiro ministro Mark Rutter passou por um incidente comum aos mortais. Ao entrar no prédio público levando à mão um copo (de papelão) contendo café, Mark bateu num obstáculo.

O copo caiu, o café sujou o chão, ninguém acorreu protocolarmente e o próprio primeiro-ministro iniciou a limpeza, logo aprimorada com o uso de uma vassoura que alguém lhe passou. Não demorou muito e as faxineiras que trabalham no Parlamento holandês foram chegando para observar o político desapegado das mordomias do poder.

De Mark Rutter, depois, duas frases de forte conteúdo: “Somos responsáveis pelo lixo que produzimos. Cabe-me limpar o que sujei – eu faço isso habitualmente na minha casa”.

O videoclipe se tornou viral nas mídias sociais, com pessoas de todo o mundo aplaudindo-o por sua humildade e chamando-o de "verdadeiro modelo".

O contraste foi comparado, nas redes, com uma atitude passiva, no Brasil, da procuradora-geral da República, ao chegar – usando carro oficial – um dia desses ao local de trabalho, onde é assídua e eficiente.

Como estivesse chuviscando e Rachel Dodge tivesse desistido de usar a garagem do prédio, havia uma prestativa servidora de plantão. Esta acionou, então, um amplo guarda-chuvas para que a autoridade não fosse atingida pelos pingos da chuva que Brasília estava esperando.

Brasil e Holanda são diferentes em muitas coisas. Aqui os “capinhas” seguem ativos no STF; e os deputados, seus amigos e milhares de servidores bebem os melhores cafés pagos pelos cofres públicos (o seu, o nosso dinheiro).

O Brasil enfrenta, entrementes, a maior crise de corrupção de sua história e tem um governo pífio que desdenha a população que, claro, conta os dias que faltam para que chegue o 31 de dezembro. (Ufa! E quem virá depois?...)

E a Holanda – ah, bem, a Holanda é um dos países com melhor qualidade de vida, com um dos mais altos Índices de Desenvolvimento Humano do mundo, segmentado em sua forte política de assistência social e direitos essenciais

Rachel Dodge, Mark Rutter, Holanda, Brasil, capinhas, “capinhas”, café, cafezinho, café expresso, guarda-chuvas, mordomias, primeiro ministro, Amsterdam, Brasília, como educação, saúde e segurança.

O país europeu possui uma das economias capitalistas mais livres do mundo — 15ª posição entre 177 países.

O Brasil tem Michel Temer como presidente, Padilha, Marun e outros semelhantes como seus ministros de destaque. Teve também o bunker milionário de Geddel. E Maluf doente, coitado, está em prisão domiciliar. Eike Batista segue faceiro também. O auxílio-moradia para autoridades está perpetuado. E quase todos os dias alguém do Supremo manda soltar alguns presos que têm alto Q. I.

Que o 31 de dezembro chegue logo!

Café derrubado no chão. Veja como o primeiro ministro da Holanda resolveu.

Leia nesta mesma edição do Espaço Vital:

·  Deputados ´torram´ o equivalente a 48 toneladas de café com aluguel de máquinas de expresso

·  Os ´anjos da guarda' dos ministros do STF


Comentários

Virginia Barbagli - Advogada 12.06.18 | 15:00:29

... E mais o fato de o STF ter sala vip no aeroporto de Brasília, paga com nosso dinheiro. O aluguel pago à magistratura, a sala vip no aeroporto também entra: é corrupção.

Mario Fernando Gonçalves Lucas - Advogado. 08.06.18 | 11:20:59

Esta atitude, é exemplar. Seria bom, que nossos intocáveis seres superiores, pudessem dar sua opinião a respeito, o que acredito que jamais acontecerá. Talvez por vergonha e/ou para não passar pelo ridículo de afirmar que tal ato de limpar não seria com eles...

Jose Cesar Palacini - Advogado 08.06.18 | 10:45:21
Bom dia. Enquanto a sociedade servir o Estado, esse Brasil não vai para frente.
Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Confirmada condenação de ex-prefeito de Gramado por improbidade

Pedro Henrique Bertolucci (PP) e a empresa Padan Empreendimentos ressarcirão R$ 121 mil e pagarão multa civil de R$ 60 mil. Ambos ficaram proibidos de contratar com o Poder Público, ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, durante 10 anos.

Três malas com 246 iPhones

Receita Federal flagra, em Guarulhos (SP) passageiro que chegava de viagem dos Estados Unidos.