Ir para o conteúdo principal

Edição de terça-feira , 18 de setembro de 2018.
http://www.espacovital.com.br/images/mab_123_13.jpg

FEPAM festeja proteção ambiental com ´banner´ de aves e mamífero que não são da fauna gaúcha



Montagem de Camila Adamoli sobre reprodução de banner da FEPAM

Imagem da Matéria

  A FEPAM de bengala...

Na última segunda-feira (4), a FEPAM – Fundação Estadual de Proteção Ambiental comemorou 28 anos. A data seria festiva não fosse o desmonte sofrido pelas instituições ligadas à proteção do meio ambiente, ciência e tecnologia, praticado pelo governo Sartori.

Num cartaz comemorativo à suposta efeméride, a FEPAM exibiu uma montagem fotográfica emoldurada por viscosas folhas verdes (inclusive de maconha), com três figuras animais: um lindo tucano, uma incognoscível ave (seria uma arara, ou um papagaio?) e...um tigre de bengala. Pelo menos dois deles não fazem parte da fauna gaúcha.

Para comparar mais o distanciamento da FEPAM com a realidade gaúcha, não custa lembrar que o tigre de bengala habita exclusivamente regiões da Índia, Nepal e Butão. Detalhe: do Rio Grande do Sul até os longínquos países, a distância média é de 14.929 quilômetros.

Esse distanciamento da realidade e esse caminhar de bengala demonstram a necessidade de que os órgãos técnicos sejam dirigidos por técnicos, e não por figuras camaleônicas ao habitat científico.

Talvez, o banner da FEPAM possa ser futurista e remeta ao exótico Rio Grande do Sul do futuro século 22. Então - quem sabe... - tigres de bengala aqui encontrarão abrigo do calor exaustivo dos areais das extensas lavouras de eucalipto.

Ou, noutra divagação, quem sabe em 2019 - para a comemoração de seus 29 anos - a FEPAM se disponha a aqui difundir os coalas, delicados marsupiais que se encontram em via de extinção desde o início da colonização inglesa da Austrália, quando surgiu o hábito de matá-los para usar sua pele.

 O Brasil que eu quero´

O cantor Xororó – aquele que faz dupla com Chitãozinho – está mobilizando artistas brasileiros para a gravação de uma música que levante a autoestima dos brasileiros.

Os versos do estribilho estão prontos: “O Brasil que eu quero/ É um país sem medo/ De corrigir seus erros, de crescer e de sonhar/ Somos brancos, amarelos, somos negros/ Somos um gigante pronto para despertar”.
Faz sentido.
Mas poderia ter um arremate: “O Brasil que eu quero/ É um país com todos os corruptos presos /E sem liminar do Gilmar /Que os possa soltar”.

 Gratuidade às claras

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara dos Deputados aprovou, na quarta-feira (6), proposta para desobrigar que advogados paguem custas processuais em execução de seus honorários. O texto foi analisado em caráter conclusivo pela CCJ e vai diretamente ao Senado.

A autora da ideia, deputada Renata Abreu (Pode-SP), sustenta com pertinência que “de acordo com a legislação em vigor, ao proceder a cobrança de seus honorários, o advogado fica obrigado a pagar as custas processuais, o que lhe acarreta prejuízos indevidos, uma vez que tal procedimento decorre da desídia da parte descumpridora de suas obrigações legais. Para afastar essa injustiça, torna-se necessário modificar a norma vigente, isentando o advogado". (Projeto de Lei nº 8.954/2017).

A propósito, enquanto a controvérsia não é solucionada por lei federal, no RS já existe em vigor uma norma estadual (nº 15.016/2017) que teve essa intenção – mas que, afinal, na prática não é aceita por cerca de metade da magistratura estadual.

O imbróglio resulta em grande número de recursos e há decisões do TJRS notoriamente contraditórias.

É que o texto dessa lei gaúcha é um lamentável primor de falta de clareza para um dos objetivos a que se propôs. É uma lei pela metade.

Que ciúme, que seriedade!

Um grupo de grandes escritórios dos Estados Unidos agitou o mercado das grandes bancas advocatícias - chamadas no país de “BigLaw” - ao anunciar o próximo “salário-mínimo” dos advogados no primeiro ano de emprego.

A iniciativa começou na segunda-feira passada (4), com a banca Milbank, Tweed, Hadley & McCloy anunciando o piso de US$ 190 mil por ano (US$ 15.833 por mês, cerca de R$ 60 mil), a partir de 1º de julho. O maior salário, para empregados com até oito anos de casa passará a ser de US$ 330 mil anuais (R$ 1,2 milhão). As interessantes informações são do jornalista João Ozório de Melo, correspondente do Conjur nos EUA.

O Espaço Vital acrescenta: quem pode, pode! País sério, leis rigorosas, corruptos presos. É importante lembrar que nos EUA nenhum advogado privado trabalha para criminoso que não consiga explicar a origem lícita do dinheiro que remunerará o desempenho advocatício.

Comparando, então, comportamentos brasileiros e estadunidenses – advogado dos EUA que aceitar pagamento com dinheiro obtido ilegalmente pelo cliente, torna-se cúmplice do ilícito praticado. E passa a ser tratado como parte de uma quadrilha.

No Brasil é diferente: o dinheiro que advogados criminalistas recebem não se confunde com o dinheiro de seus clientes...


Comentários

Banner publicitário

Mais artigos do autor

Política irracional brasileira: Congresso prepara a criação de 400 novos municípios

 O jeitinho de políticos locais na criação dos próprios distritos eleitorais: 400 novos cargos de prefeito, outro tanto de vice-prefeitos, no mínimo 2.000 secretários e 3.600 vereadores. Mais os assessores e os penduricalhos.

 No STJ, uma ação da Apple contra a Gradiente, discutindo o direito do uso da marca iPhone no Brasil.

 A desvantagem de ser condenado por corrupção e a vantagem de receber uma pena por “caixa 2”.

O Grêmio Porto-Alegrense entra para o seleto grupo de “três clubes brasileiros que alcançaram o equilíbrio financeiro”.

Fraudes para ressuscitar prazos processuais perdidos

 O esquema lesou um banco, várias agências dos Correios e a prestação jurisdicional.

• Depois da condenação pelo TRF-4, Lula ingressou com 17 recursos. Um a cada 13 dias.

 Como a Justiça dos EUA trata advogados que defendem criminosos.

 Crise na Argentina derruba a fabricante dos incomparáveis sorvetes Freddo.

União pagará transplante quádruplo de criança brasileira nos EUA

• Menino de três anos precisa receber novos estômago, intestino, baço e fígado para sobreviver a uma síndrome rara. No Brasil, esse tipo de cirurgia é feito somente em adultos.

• Cármen Lúcia arquiva os pedidos de suspeição e impedimento contra Gilmar Mendes.

• Mudança na jurisprudência trabalhista. Decisão do TST concede adicional de insalubridade a camareira de hotel.

Olho vivo em suposta pesquisa sobre as eleições da Ordem gaúcha!

E-mail maroto - que se “identifica” como OabRsEleição2018 – pede a participação de advogados.

Senado aprova projeto de lei que extingue o reconhecimento de assinaturas e a autenticação de documentos.

Ex-sócio da Empiricus, preso pelo FBI, também lesou o grupo Zaffari (RS). Enquadramento penal prevê reclusão que pode chegar a 70 anos.

Afinal, o que é “empírico”?...

Afinal, Ronaldo Fenômeno rende-se à Justiça e paga indenização (R$ 100 mil) a jornalista gaúcho

  Origem da ação remonta a uma “folgazã folgada da folia”, em boate da Coréia do Sul, durante a Copa de 2002, quando José Aveline Neto tentava clicar Ronaldinho Gaúcho dançando no colo de acompanhantes.

  Mais futebol: uma ação de universidade paulista contra a CBF. Tite, por seu desempenho como “garoto propaganda”, é o pivô da controvérsia.

  Uma indenização de R$ 21 milhões para o Icasa (clube do Ceará) que não subiu para a Série A por causa de um erro da CBF.

  E o “futebol jurídico-político” que alcança o ex-prefeito de Osório Romildo Bolzan Júnior, atual presidente do Grêmio. Condenação em ação civil pública fica próxima dos R$ 4,5 milhões.

Acórdão tenta consolar pais de criança que morreu por falência do sistema público de saúde

  “Difícil dizer para os genitores, que fizeram o possível e o impossível para salvar o filho, que não havia mais chance de vida” - registra o julgado do TJRS.

  Advogado do casal autor da ação responde em petição de embargos declaratórios: “Os pais há muito já assimilaram a precoce partida do infante, mas jamais entenderão como homens públicos podem se omitir, de forma tão gritante e covarde”.

  Calendário dos próximos meses: a) Horário de verão a partir de 21 de outubro; b) a ´chocha´ agenda de Temer; c) faltam 122 dias para a posse do novo Presidente da República.