Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira, 19 de outubro de 2018.
http://www.espacovital.com.br/images/mab_123_11.jpg

OAB-RS exclui mais dois advogados



Gerson Kauer

Imagem da Matéria

 

 Mais duas exclusões

Aumentou, há poucos dias, a relação dos advogados excluídos dos quadros da OAB-RS. Na mais recente leva foram defenestrados os bacharéis Alceu Ferreira Nunes (ex-nº 21.417) e Vânia Margareth de Oliveira Abreu (ex-nº 23.665), cujas punições já têm trânsito em julgado.

No total são 49 pessoas que estão proibidas do exercício profissional advocatício. Desse total, um só caso remonta a 2002.

Os 48 restantes ex-advogados (as) foram punidos a partir de maio de 2006, quando começou a faxina ética que alcança 32 homens e 17 mulheres. Esta disparidade por gênero talvez comporte a análise de algum sociólogo, ainda mais em função de ser parelho o número de advogados e advogadas inscritas na entidade: 40.676 (H) e 39.693 (M). Há 983 inscrições masculinas a mais.

Leia a nominata dos excluídos, no saite da OAB-RS, clicando aqui.

 Indulto para Lula?

Um diz-que-diz extraoficial no Conselho Federal da OAB deixou muita gente de olhos arregalados ontem (21), em Brasília. É que a “rádio-corredor” dali irradiou que “Ciro Gomes teria se comprometido - se vier a ser eleito presidente da República - a indultar Lula”. O decreto seria baixado no dia 2 de janeiro de 2019.

O pré-candidato do PDT apressou-se, porém, em desmentir e enviar cópias de pronunciamentos anteriores. “Seria uma loucura prometer indulto a Lula, e além disso ele me mandaria à PQP”. Há controvérsias, porém.

O inegável é que, em agosto de 2016, quando Lula recém era réu da ação penal que, em abril de 2018, resultou em prisão, Ciro Gomes disse não descartar a possibilidade de um gesto extremo de “solidariedade pessoal”.

Seria a formação de um grupo de juristas, “para fazer uma espécie de sequestro do ex-presidente e levá-lo a uma embaixada com pedido de asilo para que ele pudesse se defender de forma plena e isenta”.

O que preocupa agora é o eventual futuro alcance das últimas palavras da frase acima.

  O indulto no forno

A propósito, o jornalista Elio Gaspari, em O Globo, observou que Ciro Gomes tem toda a razão quando diz que não se pode oferecer um indulto a Lula enquanto ele tiver recursos tramitando na Justiça – seria o mesmo que considerá-lo culpado.

Gaspari lembra que, em matéria de indulto presidencial, há um precedente histórico. Em 1974, um mês depois de ter assumido a presidência dos EUA, Gerald Ford perdoou Richard Nixon arrastado pelo Caso Watergate, argumentando que seu julgamento demoraria pelo menos um ano, dividindo o país.

O caso de Lula é diferente. O ex-presidente brasileiro não renunciou e já foi condenado em duas instâncias judiciais.

  Fim da impunidade?

O jornal britânico Financial Times – 130 anos de história, 2,2 milhões de leitores diários, sede em Londres – publicou no sábado, em sua página na internet, uma entrevista em vídeo, realizada no Brasil com o juiz Sérgio Moro. O entrevistador é o correspondente do jornal no Brasil, Joseph Leahy.

O magistrado brasileiro - que a tudo responde em inglês – foi apregoado como “o homem que encerrou cinco séculos de impunidade no Brasil”.

O compacto é de 3 minutos. Para assistir, clique aqui.


Comentários

Professor Padilla Ufrgs - Luiz Roberto Nunes Padilla - Professor Faculdade Direito Ufrgs 23.05.18 | 15:05:16
Resposta ao questionamento sobre "porque há mais homens excluídos?" é encontrada em nossos estudos postados no blog - procure por padillaluiz.
A Transdisciplinar TGpT apresenta a Antropologia Jurídica da raiz de todo o mal, a paicopatia. Essa mutação tem sido encontrada em 3% de nascidos homens e 1% de mulheres.
Saiba mais aqui http://bit.ly/desumanos
Banner publicitário

Mais artigos do autor

Publicidade também dos processos judiciais criminais

 Promotor de justiça pede ao TJRS que implemente, com urgência, a pesquisa por nome nas ações penais.

 CNJ pede a desembargador do TRT-RS que explique manifestação política em favor de um dos candidatos à Presidência da República.

 Carnaval político: em 2019 no sambódromo carioca, uma homenagem a Lula ou a um bode do Ceará?

 Pela primeira vez na História, o Brasil melhora no ranking da corrupção da Transparência Internacional.

O jeitinho aritmético ensinado por juiz para ganhar e manter gratificação

  Em vídeo postado no fim-de-semana nas redes sociais, o ex-presidente da AJUFE da 2ª Região orienta como assegurar mais um penduricalho.

  Tartarugas em ação: o tempo médio de duração dos processos, no Brasil, passou de 26 meses para 33 meses.

  Afinal, o lançamento ontem (15) da candidatura de Ricardo Breier à reeleição na OAB-RS.

Legitimidade da esposa para queixa-crime contra autor de postagem que sugere relação extraconjugal homossexual do marido dela

  Caso decidido pelo STF virou tititi em Brasília, pois envolve revelação feita por um senador sobre supostas relações homossexuais entre dois políticos.

  Decisão do STJ considera o proveito econômico para balizar os honorários de sucumbência.

  CNJ afasta juiz por “desvio de conduta”.

 Correção monetária para o ressarcimento de tributos só após o 360º dia.

Simulação de casamento: o caso do sobrinho (19 de idade) que formalmente casou com uma tia-avó (84 de idade) para, quando ela falecesse, embolsar uma pensão de R$ 6.584 mensais

 Advogada porto-alegrense será indenizada pela American Airlines, após furto do conteúdo de mala, em voo internacional.

 Emoções jurídicas: discussão sobre direitos autorais, em shows de Roberto Carlos durante cruzeiros marítimos.

 A cara Justiça brasileira: em 2017, gastou R$ 90,8 bilhões em 31 milhões de processos.

A impossível convocação de uma Assembleia Constituinte desejada por Haddad

 Em qualquer democracia que mereça o nome, a Constituição só pode ser alterada por emendas submetidas a dois turnos de votação na Câmara e no Senado e aprovada por quórum especial (60%) de três quintos.

 Nas cláusulas pétreas não se mexe. Elas estão no artigo 60 da Carta Magna.

 O futuro Presidente da República e os 3% que ele poderá dispor no orçamento.

 A arrecadação do Brasil, do ano que vem, foi estimada em R$ 3,26 trilhões. Do total, R$ 1 trilhão e 560 milhões serão usados para pagar juros, amortizações e refinanciamento da dívida.

A aritmética da oposição às eleições da OAB-RS: chapa com 71 homens e 71 mulheres

 A campanha que tem como um de seus motes “Mulher não vota em quem veta” está sendo cuidada pelo publicitário Alfredo Fedrizzi.

 Em busca da reeleição, Ricardo Breier terá uma mulher como companheira de chapa.

  Empresário Abílio Diniz, o 14º brasileiro mais rico, aproxima-se de Fernando Haddad.

  Henrique Meirelles já gastou R$ 45 milhões em sua campanha, mas tem apenas 2% das intenções de voto.