Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 18 de maio de 2018.

Potins desta terça-feira



Ofensas aéreas

O advogado Cristiano Zanin Martins pediu ontem (9) à Força Aérea Brasileira, em nome do ex-presidente Lula, uma investigação sobre os áudios do voo que levou o petista, condenado e preso pela Operação Lava-Jato, do aeroporto de Congonhas, em São Paulo, ao aeroporto Afonso Pena, em Curitiba. No Twitter, Zanin afirmou que os comentários ofensivos dirigidos a Lula ouvidos na frequência de comunicação aérea indicam um atentado.

"Estive nesse voo e diante da confirmação da autenticidade do áudio é preciso investigar quem planejou esse atentado", publicou ele.

Os diálogos – entre os dois pilotos e a torre de Congonhas, na decolagem - foi interrompida por vozes não identificadas que, em dois momentos diferentes, pediam ao piloto do avião: "Leva e não traz nunca mais”; "Manda esse lixo janela abaixo”. Os comentários de áudio que xingavam o petista foram vazados e circularam no domingo (8), nas redes sociais. Os áudios também estão disponíveis no Youtube.

A manifestação da FAB

A Força Aérea Brasileira confirmou, pelo Twitter, que os áudios são verdadeiros e foram captados entre a Torre Congonhas, em São Paulo, e a Torre Bacacheri, em Curitiba. No entanto, a FAB informou que as vozes não são de controladores de voo.

O comunicado ressalta que a frequência utilizada para essas comunicações é aberta. Segundo a Força Aérea, as regras de tráfego orientam os usuários a se identificarem, o que não ocorreu nesse caso. “Lamentavelmente, na gravação em questão, a frequência foi utilizada de modo inadequado por alguns usuários que se valeram do anonimato para contrariar essas regras”, comunicou a

• Magistratura eleitoral

Em sessão administrativa realizada ontem (9), o Órgão Especial do TJRS escolheu a magistrada Marilene Bonzanini como membro efetivo do TRE-RS, na classe dos desembargadores. O motivo é o encerramento, no próximo dia 23 de maio, do biênio do vice-presidente e corregedor Jorge Luís Dall'Agnol, e do presidente Carlos Cini Marchionatti.

Em maio, o desembargador Dall'Agnol assumirá a presidência do TRE e a desembargadora Marilene Bonzanini será a corregedora.

• Enterro legislativo

Com vigência apenas até 23 de abril, está a caminho do cemitério a Medida Provisória nº 808, editada a título de ajustes à reforma trabalhista. Os últimos suspiros da MP têm a benção do corpo mole do presidente da Câmara Rodrigo Maia, que não coloca a matéria em votação. A tartaruga legislativa é apoiada também pelo descaso de Michel Temer e do presidente do Senado, Eunício de Oliveira.

Recordando: para conseguir a aprovação da nova CLT, em 2017, os três prometeram ajustes imediatos. A MP tem como virtudes as restrições ao trabalho de grávidas em locais insalubres e regular a previdência social do empregado em regime de tempo parcial.

Após o enterro legislativo prevalecerá o texto sancionado por Michel Temer, em novembro de 2017.

 Contrato temporário

O TST deu provimento a recurso de uma empresa (Higi Serv Serviços), de trabalho temporário de Curitiba (PR), para reverter condenação ao pagamento da indenização prevista no artigo 479 da CLT a um auxiliar de serviços gerais. Conforme o julgado, o contrato temporário é regido pela Lei nº 6.019/74. Esta assegura indenização correspondente a 1/12 do pagamento recebido por dispensa sem justa causa ou término normal do contrato.

O auxiliar firmara contrato de trabalho temporário, mas o pacto foi rescindido seis dias depois. Na reclamação trabalhista, ele sustentou que foi admitido por três meses e requereu o pagamento da multa do artigo 479 da CLT, correspondente à metade da remuneração à que teria direito até o encerramento do vínculo.

O julgado superior observou que o artigo 479 da CLT versa sobre a rescisão antecipada do contrato por prazo determinado, e não dos contratos temporários: “Por serem modalidades diferentes de contratos, a indenização prevista no artigo 479 da CLT não cabe no contrato de trabalho temporário”. (Proc. nº 154-50.2015.5.09.0411).


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Novo slogan de Temer vira piada nas redes sociais

• A importância da vírgula: o presidente diz que “o Brasil voltou, 20 anos em dois”.

• Mas há quem ironize: “o Brasil voltou 20 anos em dois”.

 Uma busca e apreensão – por engano – na casa do secretário adjunto do CF-OAB.

 A prescrição que agrada banqueiros.

 Gilmar Mendes prevê uma avalanche processual nos foros e tribunais, Brasil afora.

 Quanto é dois mais dois?

• Uma análise de Joaquim Barbosa sobre o sistema político brasileiro.

Potins desta sexta-feira

• Presença estranha deixa magistradas assustadas em importante reunião na Universidade de Harvard.

•  Governo brasileiro exclui entidades da lista de convidados para a reunião anual da Organização Internacional do Trabalho.

•  Temer torce pela vitória de Henrique Meirelles: quer ser ministro da Justiça a partir de 2 de janeiro.

•  Empresas envolvidas em desastres ambientais só pagaram 3,4% das multas ambientais, que totalizam R$ 785 milhões.

•  Quem são os políticos, empresários e magistrados alfinetados nos voos comerciais brasileiros.

• O largo par de headphones que faz Luiz Fux não ser incomodado quando voa de Brasília ao Rio, e vice-versa.

Potins desta terça-feira

• Nova súmula do STJ publicada: prazo para seguro de vida cobrir suicídio

 Decisão da 2ª Seção do tribunal também cancelou a Súmula nº 61

 O aumento do tesão financeiro dos donos de motéis.

 Filha de Eduardo Cunha concorrerá a deputada federal como herdeira política do pai.

 A queda da arrecadação das maiores centrais sindicais do país.

 Impasse entre herdeiros da travesti Rogéria, falecida em 2017.

Potins desta terça-feira

 Advogado revela novo ponto de domínio dos flanelinhas em Porto Alegre.

• Eleições para a OAB-RS serão na última semana de novembro, no Gigantinho.

 Novas banheiras de hidromassagem para deputados federais.

 Fale com “Mister Bud”: ele anuncia os benefícios e malefícios da maconha.

• Mais da metade dos 640 mil orelhões espalhados pelo Brasil não são utilizados um minuto sequer.

• Qual o ministro preferido de Temer? Dou-lhe um, dou-lhe dois, dou-lhe três...

 Cinco procedimentos no CNJ contra desembargadora que ofendeu a falecida vereadora Marielle e pessoas com síndrome de Down.

Potins desta sexta-feira

• Todos os bens para a companheira, se o falecido não tiver deixado descendentes ou ascendentes.

• PT e MST deixarão de usar a expressão “abril vermelho”?

• A sensibilidade de Deltan Dallagnol, à espera do voto decisivo de Rosa Weber.

• Uma nova interpretação para a expressão ´trânsito em julgado´?

• Ministro do STJ diz ser “inconcebível" o número atual de cursos de graduação e pós-graduação em Direito.

Potins desta terça-feira

• 7 de abril, o Dia D no eventual calendário político de Claudio Lamachia.

• Duas vagas a serem disputadas por quatro pretendentes: Ana Amélia, Germano Rigotto, Paulo Paim e, se for o caso, pelo atual presidente nacional da OAB.

• O bode eleitoral de Dilma Rousseff: concorrer pelo RS, Minas Gerais ou Piauí.

• Quitutes pascais e penais no Complexo Médico Penal, em São José dos Pinhais (PR).

• Louvável iniciativa do TRT-RS na conscientização sobre o autismo

• Defender que “cachorros comam índios” é mera liberdade de expressão.

• Uma calúnia peculiar: comparar o vizinho com “os advogados do Lula”.