Ir para o conteúdo principal

Edição antecipada 21-22 de junho de 2018.

Demora para decidir embargos de declaração



Caçapava do Sul, 7 de março de 2017.

Ao Espaço Vital

Ref.: Devagar se vai ao longe?

Divido com os colegas advogados, com os leitores do Espaço Vital e com os magistrados corregedores a chegada, à comarca, há um ano e meio, de uma das tantas tartarugas que aportaram na 2ª Vara Judicial de Caçapava do Sul.

É o processo nº 040/1.15.0000342-1.

Proferida sentença pelo juiz Leonardo Bofill Vanoni, foram protocolados embargos de declaração em 30 de agosto de 2016. Desde então, o processo foi ao gabinete e...não voltou.

O recurso está, até o momento sem decisão. Passei a acreditar que o prazo de cinco dias para julgamento dos embargos não se aplica nesta comarca. Estarei errada? Ou certa é a lentidão?

Atenciosamente,

Vera Cigana, advogada (OAB-RS nº 9.020).
vmscigana@farrapo.com.br


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Arte de Camila Adamoli

   Para quem gosta de tartarugas

 

Para quem gosta de tartarugas

“Pelo menos um mês para juntar uma simples petição - e depois, só Deus sabe quanto tempo, para publicar o despacho”. E o desabafo de um advogado porto-alegrense: “o que será de nós, que dependemos destes criatórios de tartarugas para ganhar o pão de cada dia?”.

Juíza gaúcha nega a aplicação de lei que isenta custas em execução de honorários

Magistrada invoca precedentes antigos de 2011 e 2015. Um deles sustenta que “a natureza alimentar dos honorários não vai ao ponto de que se lhes possa estender os privilégios atribuídos ao crédito alimentar decorrente do vínculo familiar. A ser assim, em breve estaríamos autorizando a prisão de quem não pague honorários advocatícios”.