Ir para o conteúdo principal

Edição (antecipada) de sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018.

Depois da audiência adiada, juiz dá meia-volta



Depois de toda a controvérsia – que varou o Estado – a propósito da transferência de uma audiência, para que torcedores gremistas e secadores colorados pudessem assistir o jogo do Grêmio, no próximo dia 12, o juiz Marcelo da Silva Carvalho deu meia-volta na decisão judicial.

Ele escreveu ter-se equivocado “no despacho retro na medida em que a audiência já havia sido cancelada em 24/11/2017”.

Assim, ele revogou a decisão anterior e determinou que “voltem os autos conclusos para sentença”.

A “rádio-corredor” da OAB de Santa Cruz do Sul não perdeu a ocasião, ontem (6) para ser espirituosa e deixou uma sugestão: “Nessa ação que já tem dois anos e meio de demora processual, bem que o magistrado poderia proferir a sentença durante a realização do jogo, mostrando assim prioritário apego à cena forense”. (Proc. nº 1.15.0000694-9).

Leia na base de dados do Espaço Vital
Juiz gaúcho adia audiência em 40 dias por causa de jogo do Grêmio em Abu Dhabi


Comentários

Carlos Alberto Stimamilio - Aposentado 07.12.17 | 20:59:05
Depois desse comportamento inadequado para um magistrado, sentenciar no processo que tramita durante dois anos e meio é o dever daquele juiz, que expôs a sua pessoa e o Poder Judiciário gaúcho a um episódio que beirou ao ridículo.
Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Arte de Camila Adamoli, sobre foto de Danilo Verpa (Folha de S. Paulo / Google Imagens).

O débito enorme do Judiciário com a sociedade

 

O débito enorme do Judiciário com a sociedade

Cármen Lúcia reconhece que o povo brasileiro está cansado. Por que? Eis algumas das razões: integrantes do Poder se consideram imunes à lei; magistrados corruptos são premiados por aposentadorias generosas; juízes e desembargadores têm férias de 60 dias, além do descanso extra no recesso; a prestação jurisdicional é lenta e favorece a prescrição; seu pessoal corporativo é campeão de penduricalhos; demasiado trânsito de estagiários e assessores dando sentenças. E por aí...

Auxílio-moradia no Judiciário custa R$ 75,9 milhões mensais

A cronologia e alguns números do absurdo. São 17.351 juízes, desembargadores e ministros, todos da ativa, que têm suas contas engordadas periodicamente, sem impostos: R$ 4.377 mensais; R$ 52.532 anuais. Um aporte que, três anos e quatro meses depois da liminar, já chega a mais de R$ 170 mil individualmente.

Ataque contra dois juízes no Foro da Comarca de Marau (RS)

Foram disparados no mínimo seis tiros. A intenção era libertar um preso que prestava depoimento. Reação policial imediata prendeu três homens. Veja cenas e escute os tiros, em filmagem feita por celular.