Ir para o conteúdo principal

Edição (antecipada) de quinta-feira, 11 de outubro de 2018.
http://www.espacovital.com.br/images/mab_123_11.jpg

Março ou abril: as datas em que Lula poderá ser condenado ou absolvido pelo TRF-4



Chargista Quinho

Imagem da Matéria

O julgamento do ano

A “rádio-corredor” da Justiça Federal gaúcha está aceitando palpites para a “quinzena aproximada” em que a 8ª Turma do TRF-4 levará a julgamento, em 2018, a apelação da ação penal em que o ex-presidente Lula foi condenado por Sérgio Moro, em 12 de julho, a nove anos e seis meses de prisão.

O projeto de voto do relator João Pedro Gebran Neto está pronto desde sexta-feira passada (1º).

Por ser sigiloso, o conteúdo do voto, por ora, só é conhecido, por mais uma pessoa: o revisor Leandro Paulsen. Depois vai para o sistema eletrônico do vogal Victor Luis dos Santos Laus, ficando disponível - em segura criptografia - somente para os desembargadores do colegiado tríplice que fará o julgamento.

Em tempo: o maior número de palpites sugere que o julgamento será em abril. E se dividem entre as quartas-feiras dias 4, 11, 18 e 25.

Mas há quem crave o dia 28 de março.

O alto preço do usufruto

Em meio aos revezes penais nas negociações para acordo de delação premida na Lava Jato, o notório Eduardo Cunha acaba de receber mais uma má notícia. Foi multado em R$ 3,8 milhões pela Receita Federal por ocultação de recursos no exterior.

O dinheiro estava naquelas contas em nome de “trusts”, das quais o ex-deputado – segundo suas próprias palavras - seria “apenas usufrutuário”.

Lembram daquele ditado de que “a mentira tem pernas curtas”? Pois é.

Meses de silêncio

A um mês e meio de completar-se um ano do acidente aéreo que matou Teori Zavascki, a investigação da Polícia Federal e da Aeronáutica não chegou, sequer, a uma conclusão preliminar.

A certeza apenas, por ora, é de que no dia 19 de janeiro de 2018 haverá missa de 1º ano do falecimento do ministro do STF e dos quatro outros falecidos.

Dívidas de condomínio

Mudança na jurisprudência sobre débitos condominiais. O STJ reformou decisão do TJ do Rio que, em ação de cobrança de cotas condominiais, manteve condenação de devedor ao pagamento das despesas vencidas e a vencer até o trânsito em julgado do processo.

O condomínio interpôs recurso especial sob o fundamento de que “as despesas condominiais têm natureza continuada e periódica e, por esse motivo, a execução da sentença que reconhece seu débito deve alcançar as prestações vencidas até a efetiva quitação, e não até o trânsito em julgado, em respeito à efetividade da prestação jurisdicional e à economia e utilidade do processo”.

A relatora, ministra Nancy Andrighi, acolheu os argumentos, admitindo que o objetivo é evitar litígios idênticos e, consequentemente, uma melhor utilidade e economia do processo.

O julgado resume que “as prestações podem ser incluídas na execução enquanto durar a obrigação, ainda que o vencimento de algumas delas ocorra após o trânsito em julgado da sentença condenatória” – resume.  (REsp nº 1548227).


Comentários

Banner publicitário

Mais artigos do autor

Legitimidade da esposa para queixa-crime contra autor de postagem que sugere relação extraconjugal homossexual do marido dela

  Caso decidido pelo STF virou tititi em Brasília, pois envolve revelação feita por um senador sobre supostas relações homossexuais entre dois políticos.

  Decisão do STJ considera o proveito econômico para balizar os honorários de sucumbência.

  CNJ afasta juiz por “desvio de conduta”.

 Correção monetária para o ressarcimento de tributos só após o 360º dia.

Simulação de casamento: o caso do sobrinho (19 de idade) que formalmente casou com uma tia-avó (84 de idade) para, quando ela falecesse, embolsar uma pensão de R$ 6.584 mensais

 Advogada porto-alegrense será indenizada pela American Airlines, após furto do conteúdo de mala, em voo internacional.

 Emoções jurídicas: discussão sobre direitos autorais, em shows de Roberto Carlos durante cruzeiros marítimos.

 A cara Justiça brasileira: em 2017, gastou R$ 90,8 bilhões em 31 milhões de processos.

A impossível convocação de uma Assembleia Constituinte desejada por Haddad

 Em qualquer democracia que mereça o nome, a Constituição só pode ser alterada por emendas submetidas a dois turnos de votação na Câmara e no Senado e aprovada por quórum especial (60%) de três quintos.

 Nas cláusulas pétreas não se mexe. Elas estão no artigo 60 da Carta Magna.

 O futuro Presidente da República e os 3% que ele poderá dispor no orçamento.

 A arrecadação do Brasil, do ano que vem, foi estimada em R$ 3,26 trilhões. Do total, R$ 1 trilhão e 560 milhões serão usados para pagar juros, amortizações e refinanciamento da dívida.

A aritmética da oposição às eleições da OAB-RS: chapa com 71 homens e 71 mulheres

 A campanha que tem como um de seus motes “Mulher não vota em quem veta” está sendo cuidada pelo publicitário Alfredo Fedrizzi.

 Em busca da reeleição, Ricardo Breier terá uma mulher como companheira de chapa.

  Empresário Abílio Diniz, o 14º brasileiro mais rico, aproxima-se de Fernando Haddad.

  Henrique Meirelles já gastou R$ 45 milhões em sua campanha, mas tem apenas 2% das intenções de voto.

“No Supremo tem gabinete distribuindo senhas para soltar corruptos”

 Ministro Luís Roberto Barroso diz, em entrevista à Folha de S. Paulo, que “menos de 1% dos presos do sistema prisional brasileiro está lá por corrupção ou por crime de colarinho branco - tem alguma coisa errada nisso”.

• A sangria da Petrobras: só num acordo celebrado nos EUA, a estatal brasileira vai desembolsar US$ 2,95 bilhões: são seis vezes mais do que a operação Lava-Jato recuperou.

 A solução do pacote turístico embrulhado: multa por cancelamento não pode ser superior a 20%.

 Advogado invade gabinete do juiz, a quem coloca em nocaute.

“Auxílio-aparência”, versão 2018

 CNJ entra em ação e manda suspender a nova compra. Praxe anual começou em 2009.

 Em 2019, mais advogadas do que advogados no Rio Grande do Sul.

 Dias Toffoli diz que “segurança jurídica é o desafio do Judiciário no século 21”.