Ir para o conteúdo principal

Sexta-Feira, 15 de Dezembro de 2017

Imprensa Vermelha Isenta, tremei!



Charge de Gerson Kauer

Imagem da Matéria

Por Lenio Streck, professor, jurista e amante do futebol.
Lenios@globo.com

O Prêmio Press teve como um dos finalistas o blog esportivo Corneta do RW. Estava lá, entre os cinco. RW no G5 do Press. RW na Libertadores dos prêmios jornalísticos.

Ricardo Wortmann capitaneia há alguns anos esse belo blog esportivo de resistência contra a IVI – Imprensa Vermelha Isenta. Ricardo cunhou a sigla. Hoje universalizou. Peninha (o novo colunista de Zero Hora) acaba de confirmar isso em artigo escrito no dia (29) do Tri da América.

Todos os jornalistas e quejandos do mundo esportivo sabem que RW e IVI estão interligados. A sigla pegou tanto que, hoje, já se pode parafrasear Shakespeare, de Romeu e Julieta. Em vez de perguntar “A rosa perderia seu perfume se lhe mudassem de nome”, podemos indagar: “A IVI deixaria de ser IVI se lhe trocassem de nome?

Na verdade, RW não criou e nem inventou a IVI. Ela é antiga. RW foi o nomoteta, o dador de nomes como na Grécia antiga. Deu o nome à coisa.

Quem faz jornalismo e torce para os vermelhos e não sai do armário é...IVI! Bingo! Para ser IVI tem de preencher os requisitos. RW não dá o epíteto a qualquer um que torça pelo Inter. Os assumidos não são IVI.

IVI são aqueles que, à socapa e à sorrelfa, usam a novilíngua do esporte, como, por exemplo, mudar o nome da segundona para Brasileirão da Série B, sem esquecer que, às vezes, o B é suprimido.

Foi RW, então, quem, como Gabo em sua Macondo, do “Cem Anos de Solidão”, apontou o dedo para algo que não tinha nome. Por isso, podemos dizer que “no princípio era a IVI”. Mas só depois de nominada devidamente a IVI começou a ser enfrentada. Claro: o adversário a ser combatido tem de ser nominado. Por isso são as IVIs da Ipiranga, do Centro, da rua Orfanotrófio e do Morro.

Tudo isso foi levando o blog à fama. Claro que isso gera reações em contrário. De início ouvia-se nas rádios: “IVI? Ah, isso não existe”...

Mas a raposa vai ao moinho e perde o focinho... O tempo é o nome do ser. O tempo passa, torcida gaúcha, diria Fiori Giglioti. E o blog se consolidou na mesma proporção em que o nome IVI pegou. Ajudei em algumas coisas, como a nominação da sigla CIA – Comentaristas Isentos de Arbitragem, cujo presidente é o Agente Diori.

Também ajudei denunciando, a partir de 1984, de Orwell, a novilíngua criada na imprensa esportiva gaúcha. O blog sempre denunciou coisas como “ex-jogador do Grêmio envolvido em acidente”, ao lado de “fulano, jogador do Ajax, envolvido em acidente”. Ocorre que o segundo jogador era ex-Inter. Mas o ex só vale para o Grêmio.

Coisinhas assim que vão formando um imaginário, que forja a sensação de que há imparcialidade, quando, na verdade, há a dominância da IVI. Quando o Grêmio foi para a segundona, era “o inferno da segundona”. Agora, na novilíngua, tudo mudou.

Passou a ser “Inter: um time A na B”, ou “Líder do Brasileirão” (tivemos que chamar a atenção da editoria para que colocassem a letra B – sim, isso aconteceu).

No dia seguinte à conquista do TRI, de novo a IVI se superou. A matéria estava pronta. E saiu. ZH de ontem (30). Artigo de Fernando Kallas, direto de Madrid: “A chance de ouro do Grêmio”. Como assim? Claro. A IVI já espalha: o Real Madrid está mal. Conclusão: se o Grêmio for BI Mundial, é pela fraqueza sazonal do Real. Ora, como diria Marco Antonio Pereira, “vai te afumentar”. A IVI é demaaais! Ou demooois!...

A grande virtude do blog Corneta do RW foi desvelar esse imaginário “imparcial”. O blog ajudou a criar os SECs (Sinais Exteriores de Coloradismo), como por exemplo, quando o Inter perde ou joga mal, os ivistas não conseguem disfarçar a raiva. RW coloca até os post nas redes, nos quais o ivismo não se segura. Os SECs os desvelam.

RW, com seu pioneirismo, mereceu estar no G5 Press. Não ganhou. Não matou, mas tirou pena! Na próxima, vai. Sem dúvida.

Parabéns, Ricardo Wortmann! Um estranho no ninho fazendo história. E vencedor: não ganhou o Press, mas ganhou o TRI da América! Binguíssimo!


Comentários

Rafael Frantz - Advogado 04.12.17 | 13:07:20
Ataques pessoais ao articulista desacompanhado de argumentos só mostra o quão estão certos. Os vermelhinhos isentos que sigam chorando e sendo desmascarados.
Flavio Guberman - Resistente à Ivi 02.12.17 | 12:00:29
O Prof. Lênio foi certeiro em seus comentários. Eu, como ele, colaboro na fiscalização da IVI, escrevendo sempre no Corneta do RW e ofender o mensageiro não quer fará desaparecer a verdade da mensagem que ele carrega. A maior prova de existência da IVI é a força que fazem para provar que ela não existe, a despeito dos fatos que há à disposição. A verdade é uma só: a crônica esportiva gaúcha é viciada e vermelha. E não saber respeitar as opiniões alheias é outra prova disso.
Andre Peixoto Soria Galvarro - Engenheiro Agrônomo 02.12.17 | 00:15:18
O Ricardo foi um dos bons amigos que tive o privilégio de ganhar neste 2017. Assim como todos do grupo de WhatsApp do Resenha Tricolor. Sua luta contra a iVI é incansável, assim como a IVI é incansável em combater o Grêmio. Vida longa ao Corneta do RW!
Alexandre Leão - Servidor Público 01.12.17 | 17:23:06
Dr. Lênio é brilhante como jurista, como pessoa e como analista de futebol! Eu acho que quando se vai criticar alguém de tantas luzes, deveria fazê-lo com talento, com nível e com um mínimo de base, porque senão, além de nada acrescentar, deixa o Dr. Lênio em confortável situação, que é: "Se este cara está contra mim, melhor! Que fique do outro lado"! Uma pena que tenhamos tão pouco de Lênio e avassaladora mediocridade da mídia desportiva que segue forjando tantos incautos!
Daniel Rubin - Procurador 01.12.17 | 17:11:54
Pela revolta do pessoal de vermelho, que deixa claro que acusaram o golpe, só se pode concluir que o artigo foi certeiro. A verdade às vezes dói, mas os dias em que a IVI decretava o certo e o errado no futebol do RS sem qualquer contestação já fazem parte do passado.
Roberto Naime - Geólogo 01.12.17 | 16:31:10
É bem isto...muito bom Lenio...
Enio Roberto Gonçalves Ferreira - Advogado 01.12.17 | 16:01:00
Lendo o Dr. Lenio e o Sr. RW chego a ficar com pena do Tricolor dos Pampas. Como são perseguidos pela imprensa... Só há jornalistas vermelhos, inclusive falando em arbitragem. Tenham dó. Tiveram um representante recentemente falecido ocupando por cerca de 40 anos os maiores espaços da imprensa gaúcha (rádio, jornal e tv). Os proprietários da maior rede de comunicação do sul do país são reconhecidamente azuis. Há ex-árbitro de futebol, filho de ex-diretor azul, hoje comentarista...
Ricardo Angeli - Analista De Sistemas 01.12.17 | 15:48:59
Calma, pessoal. Desqualificar o articulista não altera os fatos. É apenas um indício de falta de argumentos. Seguindo o princípio do livre convencimento, o RW prova, com dados, prints, tuítes, manchetes, fotos, jornais, notícias, estatísticas, e o que mais for preciso, que a IVI existe. Cabe aos que reclamam provar o contrário. E não fiquem brabos com o Lênio, e sim com a IVI - que os fez acreditar na bolha vermelha, no mundo Fifa, no time de A na B, etc...
Jose Claudio Flain De Oliveira - Engenheiro Civil 01.12.17 | 15:24:20
RW, a luta não é fácil. A IVI é poderosa, pois assusta até dirigentes. Não desista nunca...
Jorge B. Vieira - Aposentado 01.12.17 | 14:43:31
Credo! A segundona e a Libertadores deste ano deixaram alguns colorados em um verdadeiro "ataque de nervos".
Aldo Votto - Engenheiro Agrônomo 01.12.17 | 14:37:38
Lenio, brilhante como sempre, entrega os louros a quem a eles faz jus. Há vinte e cinco anos longe do RS, de volta há pouco tempo, os “manuais” de Ricardo Wortmann ajudaram muito na necessária “reentrada na atmosfera” do grenalismo esgotado, burdo e tacanho açulado pela IVI dos quatro quadrantes do (ex) jornalismo esportivo de Porto Alegre. Parabéns aos dois e muita força ao RW para seguir na resistência!
Sérgio Araújo - Aposentado 01.12.17 | 12:29:07
Artigo medíocre que não está à altura de quem se intitula jurista. É muita estultice em tão pouco texto. O Sr. Lenio considera-se o paladino da razão e da verdade. Por que não comemora o título merecidamente conquistado por seu time? Que chatice...
Carlos Massena - Consultor 01.12.17 | 11:21:15
Se a intenção é colocar humor, está bem colocado, mas, se a coisa é para ser séria, que desastre! ET: E a imprensa azul, majoritária, não tem seus admiradores revelados? Aqui no RS temos até emissoras identificadas com o lado azul. Por que o tratamento é diferente?
Julio Cesar Sanvido - Advogado 01.12.17 | 11:18:21
Texto pobre, confuso, próprio de quem escreve com extrema dificuldade, ou melhor, de quem não sabe escrever. Só aqui, na República da Banânia, alguém capaz de publicar bobagens como essa pode se auto proclamar JURISTA. Mas os qualificados leitores do EVV certamente já se compensaram com a elegância e o magnífico conteúdo do artigo de Roberto Siegmann.
Cesar Franco De Lima - Empresário 01.12.17 | 09:49:23
Lenio, vejo você seguidamente no programa do Paulo Sérgio Pinto. És brilhante, mas às vezes chato. E com esta matéria estou te concedendo o titulo : A MALA SEM ALÇA DO ANO. Leia a matéria no mesmo EV de hoje "UMA NOITE EM BUENOS AIRES", esta sim uma matéria digna de ser lida. Sensacional.
Banner publicitário

Notícias Relacionadas

O processo eletrônico e a transferência de serviços ao advogado

“No ´pacote´ que se oferece aos profissionais da advocacia vem embutido um autêntico ´presente de grego”.  São tarefas que seriam atribuições de um já existente contingente de servidores devidamente habilitados - e remunerados - para exercê-las." Artigo de Edmar Luiz de Oliveira Fabrício.

O STF no fundo do poço!

De decepção em decepção o STF vai levando para a cova sua questionada reputação. O ministro Dias Toffoli esteve no domingo (19) no Palácio do Jaburu (encontro fora da agenda) e na seguinte quinta-feira (23) se curvou aos interesses das oligarquias políticas dirigentes. Estas não querem ver restringido o privilégio do foro no STF, posto que fonte segura de impunidade e abrigo da clepto-bandidagem”. Artigo do jurista Luiz Flávio Gomes.

Uma estranha parceria entre a ANAC, empresas de aviação e os abusos no setor aéreo

Um subterfúgio para aumentar o lucro das companhias em detrimento dos direitos dos consumidores. As agências reguladoras utilizadas como moeda de troca, o que ocasiona o desvio da função para as quais foram criadas, além de aumentar o custo de uma máquina pública já inchada”. Artigo de Claudio Lamachia, presidente nacional da OAB.

OAB/RS, e-Proc e uma nova era digital

“11 de abril deste ano, data do 85º aniversário da Ordem gaúcha. Em audiência pública, o estopim que relatou dificuldades com o processo eletrônico do TJRS: perdas de prazos, longas horas de sistema travado, documentos não anexados, uma lista de entraves”. Artigo de Ricardo Breier, presidente da OAB-RS.