Ir para o conteúdo principal

Edição sexta-feira , 20 de julho de 2018.

Feriado local tem de ser comprovado no ato da interposição do recurso



Por maioria de votos, a Corte Especial do STJ decidiu ontem (20) que a falta de comprovação prévia da tempestividade de recurso, em razão de feriado local, configura vício insanável e torna o recurso intempestivo. A questão era objeto de entendimentos divergentes na jurisprudência do STJ, embora a maioria dos julgados já tendesse a não admitir a comprovação do feriado local em momento posterior à interposição do recurso.

A 4ª Turma decidiu levar à Corte Especial um processo (oriundo da Justiça Estadual de Mato Grosso do Sul) para que o colegiado pudesse definir definitivamente qual interpretação deveria ser dada ao artigo 1.029, parágrafo 3º, do CPC de 2015, no caso de feriado local.

O dispositivo estabelece que o STF ou o STJ poderão desconsiderar vício formal de recurso tempestivo ou determinar sua correção, desde que não o repute grave.

O relator do processo, ministro Raul Araújo, votou pela possibilidade da correção do vício. Para ele, “o novo CPC prestigia a resolução de mérito do processo e, dessa forma, nos casos de falta de comprovação de feriado local, deveria ser dada à parte a oportunidade de corrigir o vício formal posteriormente, por aplicação do artigo 932, parágrafo único, do CPC/2015”.

A maioria do colegiado, no entanto, acompanhou o voto divergente apresentado pela ministra Nancy Andrighi. Para ela, diferentemente do CPC/73, “o novo CPC exige, de forma expressa, que a comprovação da ocorrência de feriado local seja feita no ato da interposição do recurso, conforme o artigo 1.003, parágrafo 6º”.

Apesar de reconhecer que o legislador possibilitou a correção de vícios que não sejam reputados graves, a ministra Andrighi afirmou que, no caso da comprovação de feriado local, o novo código foi taxativo ao excepcionar a regra geral.

O voto – que foi acompanhado pela maioria – assentou que “a jurisprudência construída pelo STJ à luz do CPC/73 não subsiste ao CPC/15: ou se comprova o feriado local no ato da interposição do respectivo recurso, ou se considera intempestivo o recurso e, em consequência, opera-se a coisa julgada”.

O julgado fulminou definitivamente a pretensão recursal do Banco Bradesco. O acórdão ainda não está disponível. (AREsp nº 957821).


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Morre o advogado Mathias Nagelstein

Ele teve sucesso na carreira política, ocupando cargos nos governos de Alceu Collares. Foi também juiz do Tribunal Militar do RS. Sem êxito concorreu em novembro de 2009 às eleições da OAB gaúcha.

Elogiáveis relações entre advogado e juiz

Verdades e gentilezas numa petição por esquecer de comparecer a uma audiência. E a distinção no despacho judicial:“Que o exemplo sirva às novas gerações de advogados!”.