Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 21 de setembro de 2018.
http://www.espacovital.com.br/images/mab_123_13.jpg

Marco Aurélio se declara “inimigo capital” de Gilmar Mendes.



O inimigo sincero

Os advogados que, em Brasília, estão tentando convencer a presidente Cármen Lúcia a pautar, sem mais delongas, o julgamento do pedido de suspeição de Gilmar Mendes, tiveram uma surpresa, na quinta passada.

Nos autos processuais, o ministro Marco Aurélio Mello já se deu, formal e antecipadamente, por impedido de atuar no feito.

E declinou o motivo curto e com todas as letras necessárias: “pela inimizade capital”.  Foi sincero.

A propósito, simples animosidade ou malquerença não pode ser considerada inimizade pessoal. “Inimigo capital é o imbuído de grande ódio, é o inimigo mortal" – já definiu a Revista de Jurisprudência do TJ de São Paulo (edição 64/146).

A palavra ´capital´ também tem o sentido de principal, fundamental, vital.  Logo, inimigo capital seria o pior de todos os inimigos, o principal inimigo...

O deputado nº 171

Preso em regime semiaberto, o deputado Celso Jacob (PMDB-RJ) foi o voto número 171 a favor do presidente Michel Temer. Jacob - preso por determinação do STF desde 23 de maio - cumpre pena de 7 anos e 2 meses em regime semiaberto.

Durante o dia, o deputado vai para a Câmara e, à noite, dorme na prisão.

Jacob foi condenado por fraudar em 2003 a publicação de uma lei municipal de Três Rios (RJ), onde era prefeito, acrescentando um artigo que não tinha sido votado na Câmara de Vereadores.

Coincidência, o objetivo era criar um crédito orçamentário adicional que permitisse finalizar “a construção de uma creche”...

 Ação entre amigos

A “rádio-corredor” do Conselho Federal da OAB irradiou na semana passada que “até ser preso por esconder R$ 51 milhões de propinas num apartamento de Salvador (BA), Geddel Vieira Lima vinha sendo tratado como amigo da casa pelo Planalto”.

É que e-mails em poder da Polícia Federal agora revelam que Geddel - já como ex-ministro - recebia da equipe presidencial informes regulares sobre o andamento da Lava Jato.

O jornalista Ricardo Boechat completou, na revista IstoÉ, com um detalhe que faltava: das mensagens que chegaram a Geddel, “sobre delações premiadas e acordos de leniência, uma exibe o título ´Alerta´ e é assinada por Ivani dos Santos, uma das secretárias executivas que trabalham com Michel Temer”.

O time do bagre

A decodificação das mensagens criptografadas do sistema Drousys – que era utilizado pelo Departamento de Propinas da Odebrecht - deu à Operação Lava Jato uma nova lista de apelidos de corruptos abastecidos pela empreiteira.

O novo time tem oito nomes: “Ventania”, “Ovo”, “Luz”, “Bigode”, “Enteado”, “Tijolo”, “Corajoso” e “Bagre”.

O peixe bagre, por ser escorregadio e difícil de pegar, é compatível com o perfil de políticos. Algo como alguém vacilão, que faz as coisas erradas, mas em causa própria.


Comentários

Antonio Ernando Correa Novais - Advogado E Professor De Direito Civil 31.10.17 | 11:30:40

Quanto ao texto "Ação entre amigos", demonstra mais uma vez, a intima relação entre os autênticos bandidos que comandam o nosso pobre país. E é lamentável a covardia do nosso povo que a tudo assiste sem demonstrar qualquer sentimento de repúdio a situação que hoje enfrentamos. Entendo que caberia, como cabe à OAB Federal, exigir a resposta da Câmara quanto ao impeachment impetrado contra esse fantoche de presidente.

Banner publicitário

Mais artigos do autor

Mais 24 anos e dois meses de poder para Toffoli

 Se não quiser, antes, se aposentar voluntariamente, o atual presidente do STF será ministro até 14 de novembro de 2042, véspera de seu 75º aniversário.

 O atual decano Celso de Mello pode chegar a 30 anos, um mês e 22 dias em atividade na Suprema Corte.

 Presidente do BNDES admite que “foi um erro o banco ter concedido empréstimos para exportações a países como Cuba e Venezuela”.

 Uma ação do Botafogo cobra, no Rio, R$ 50 milhões do ex-presidente Maurício Assumpção por má gestão.

 No RS não se fala mais na devassa das contas do ex-presidente do Inter.

Política irracional brasileira: Congresso prepara a criação de 400 novos municípios

 O jeitinho de políticos locais na criação dos próprios distritos eleitorais: 400 novos cargos de prefeito, outro tanto de vice-prefeitos, no mínimo 2.000 secretários e 3.600 vereadores. Mais os assessores e os penduricalhos.

 No STJ, uma ação da Apple contra a Gradiente, discutindo o direito do uso da marca iPhone no Brasil.

 A desvantagem de ser condenado por corrupção e a vantagem de receber uma pena por “caixa 2”.

O Grêmio Porto-Alegrense entra para o seleto grupo de “três clubes brasileiros que alcançaram o equilíbrio financeiro”.

Fraudes para ressuscitar prazos processuais perdidos

 O esquema lesou um banco, várias agências dos Correios e a prestação jurisdicional.

• Depois da condenação pelo TRF-4, Lula ingressou com 17 recursos. Um a cada 13 dias.

 Como a Justiça dos EUA trata advogados que defendem criminosos.

 Crise na Argentina derruba a fabricante dos incomparáveis sorvetes Freddo.

União pagará transplante quádruplo de criança brasileira nos EUA

• Menino de três anos precisa receber novos estômago, intestino, baço e fígado para sobreviver a uma síndrome rara. No Brasil, esse tipo de cirurgia é feito somente em adultos.

• Cármen Lúcia arquiva os pedidos de suspeição e impedimento contra Gilmar Mendes.

• Mudança na jurisprudência trabalhista. Decisão do TST concede adicional de insalubridade a camareira de hotel.

Olho vivo em suposta pesquisa sobre as eleições da Ordem gaúcha!

E-mail maroto - que se “identifica” como OabRsEleição2018 – pede a participação de advogados.

Senado aprova projeto de lei que extingue o reconhecimento de assinaturas e a autenticação de documentos.

Ex-sócio da Empiricus, preso pelo FBI, também lesou o grupo Zaffari (RS). Enquadramento penal prevê reclusão que pode chegar a 70 anos.

Afinal, o que é “empírico”?...

Afinal, Ronaldo Fenômeno rende-se à Justiça e paga indenização (R$ 100 mil) a jornalista gaúcho

  Origem da ação remonta a uma “folgazã folgada da folia”, em boate da Coréia do Sul, durante a Copa de 2002, quando José Aveline Neto tentava clicar Ronaldinho Gaúcho dançando no colo de acompanhantes.

  Mais futebol: uma ação de universidade paulista contra a CBF. Tite, por seu desempenho como “garoto propaganda”, é o pivô da controvérsia.

  Uma indenização de R$ 21 milhões para o Icasa (clube do Ceará) que não subiu para a Série A por causa de um erro da CBF.

  E o “futebol jurídico-político” que alcança o ex-prefeito de Osório Romildo Bolzan Júnior, atual presidente do Grêmio. Condenação em ação civil pública fica próxima dos R$ 4,5 milhões.