Ir para o conteúdo principal

Edição (antecipada) de sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018.

Pernas maravilhosas



Gerson Kauer

Imagem da Matéria

A fábrica brasileira de calçados deu asas a um italiano. Ele era representante de empresa estrangeira que adquiria produtos fabricados na região calçadista. E assim, passo a passo, em cada uma de suas vindas mensais, ele foi dando palpites sobre cores, opinando sobre modelos, etc. e até autorizado a que pedisse que as funcionárias da fábrica experimentassem os protótipos.

No contexto, ele admirava e apalpava as pernas das trabalhadoras, após o que as convidava para uma esticada. Tinha preferência pela faixa etária dos 20 aos 25, pezinhos tamanho 36 ou 37. Perguntava a elas se gostariam de conhecer Roma e Veneza.

E adorava repetir a cada uma das visadas que "queste gambe sono gioielli meravigliosi". De tanto ouvirem essas frases, as moças descobriram a tradução: "Estas pernas são jóias maravilhosas".

Foi nesse contexto que o italiano ganhou a fama de gringo abusado. A indústria fabricante tinha conhecimento, mas - interessada nas boas exportações - fazia vistas grossas.  Até que ele se engraçou numa trabalhadora casada. Ela deu o estrilo, abandonou a empresa e, uma semana depois, a causa estava na Justiça do Trabalho.

A indústria calçadista se defendeu: “O cidadão em tela não é, nem foi, funcionário da reclamada, mas mero representante de empresa estrangeira, contra quem deverá, na Justiça Comum Estadual, ser aforada a eventual ação reparatória cível, sem nenhuma conotação trabalhista".

Testemunhas deram detalhes e o juiz reconheceu que “o fato de o agressor moral não ser empregado da reclamada é indiferente, pois a empresa deve manter um ambiente de trabalho saudável e respeitoso".

O TRT foi além. Reconheceu que “a reclamante e colegas ficavam sem poder se defender, sob risco de perder os empregos, pois o assediador era pessoa influente e de livre trânsito na reclamada".

A lesada recebeu R$ 20 mil. A empresa perdeu as exportações. O italiano fez viagem definitiva para Milão, sem volta. Como consolo levou, na memória de seu incrementado celular, poses e vídeos dos novos sapatos fabricados e dos respectivos pés que os calçavam, bem como das respectivas “gambe meravigliosi”.


Comentários

Paulo A. P. Cordeiro - Advogado 17.10.17 | 13:15:20
De se parabenizar a decisão judicial, vez que atualmente raros são os deferimentos de dano moral e quando ocorrem, as indenizações são mínimas, muito menores do que a percebida pela reclamante. Talvez seja reflexo da falta de argumentos, mas tanto se repetiu em defesa sobre a "indústria do dano moral" que virou aparentemente argumento válido, especialmente como um capítulo extra do ódio à Justiça Obreira. Como se vê, se era isso, não resolveu a questão do ódio, pelo contrário.
Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Charge de Gerson Kauer

A falta de provas

 

A falta de provas

Dois dias depois do julgamento de segundo grau que condenou o ex-presidente da República, começa um cursinho de Direito, com duas dezenas de jovens que aspiram o ingresso na magistratura. Na aula inaugural, o professor de Direito Penal conta uma história conjugal: um político militante desconfiava que sua esposa era adúltera. Então...

Charge de Gerson Kauer

O sexo e a vizinhança

 

O sexo e a vizinhança

Periodicamente, em um prédio da Independência, ouve-se o eco de tapas seguidos de gemidos altos. Os vizinhos já sabem que, em seguida, haverá muitos gritos decorrentes de cenas explícitas de sexo. O caso chega a Juízo. A juíza convida o casal participante e os vizinhos “à tolerância e à moderação, pelo bem social”.

Charge de Gerson Kauer

Predileção por lâmpadas vermelhas

 

Predileção por lâmpadas vermelhas

O equívoco cometido por um juiz que se preparava para assumir a jurisdição. Era meados de dezembro. Ao, pela primeira vez, subir a Serra Gaúcha, “encantou-se” com insinuantes luzes vermelhas que adornavam a fachada da casa de uma tradicional família italiana.

Charge de Gerson Kauer

O que (também) se faz no casamento?

 

O que (também) se faz no casamento?

Era o julgamento de uma apelação que buscava a anulação de um casamento, porque o homem se recusava ao relacionamento sexual. Até que o desembargador vogal descontraiu a discussão jurídica: “Dentre as finalidades do casamento está o relacionamento sexual - embora ninguém case só para isso, mas case também para isso”.

Charge de Gerson Kauer

Audiência de acareação

 

Audiência de acareação

Defronte ao juiz, no foro e perante os habituais personagens da cena forense, quase um engano atroz da idosa vítima de um crime sexual. Ela não identifica o preso como o autor da violência. E, espantosamente, ela passa a desconfiar do advogado de defesa!...

Charge de Gerson Kauer

O advogado, a juíza e o galo eficaz

 

O advogado, a juíza e o galo eficaz

É época de grande feira de tecnologia agropecuária e agroindustrial. Um profissional da advocacia (também exitoso fazendeiro e ágil criador e exportador de galinhas) está junto ao balcão do bar do hotel cinco estrelas, empunhando uma taça de champanhe. De repente, aproxima-se uma magistrada – conhecida dele - que denotava felicidade.