Ir para o conteúdo principal

Terça-Feira, 21 de Novembro de 2017

As muitas estultices do promotor Sérgio Harris



Em rebate ao artigo “Erro histórico da Ordem dos Advogados”, de autoria do promotor público Sérgio Hiane Harris, - publicado pelo Espaço Vital na edição de 5 de setembro de 2017 - os presidentes das 106 subseções expediram ontem (11) a seguinte nota de indignação:

“A OAB-RS, por meio do seu Colégio de Presidentes das 106 Subseções do Estado, vem a público divulgar esta nota oficial, para manifestar sua profunda indignação frente ao ofensivo artigo firmado pelo senhor Sérgio Harris, escudado na presidência, que ora ocupa, da Associação do Ministério Público do RS.

Em seu despropositado texto de ataque à advocacia - que não reproduz o posicionamento institucional do MP/RS -  aquele articulista resolveu atingir a OAB e toda a advocacia, com uma série de impropérios, generalizações e destemperos que, caso correspondam ao seu pensamento habitual, denotam uma profunda falta de sintonia com o bom senso, com a ética e com a cultura jurídica.

Muitas foram as estultices ditas, com ares de falsa indignação, no referido artigo, indicando primariedade de raciocínio, o que custa crer tenham partido da lavra de um ´parquet´.

Diz o artigo que "O atual momento da OAB não faz jus ao seu passado", deixando claro que, se as denúncias feitas pelo ofensor ao longo de sua carreira tiverem sido tão vazias quanto esta afirmação, muita injustiça já deve ter sido por ele praticada.

Basta dizer que a OAB tem sido dirigida por líderes com altíssimo nível de aprovação, dada por quem tem legitimidade para avaliá-la, que são os próprios advogados.

Afirma ainda o temerário crítico que "o projeto de lei (de criminalização do desrespeito às prerrogativas dos advogados) vai enfraquecer a atuação processual dos agentes", o que equivale a uma confissão de que o referido senhor não sabe trabalhar eficazmente sem violar prerrogativas dos advogados.

Finalmente, o ofensor descreve condutas antiéticas dos advogados, como se fossem regra, arvorando-se em defesa da moral. A mesma moral que lhe falta quando generaliza suas acusações, esquecendo-se de que em todas as classes existem bons e maus profissionais, fato cuja existência está bem comprovada e exemplificada pelo próprio libelo acusatório, de péssima intenção, aqui respondido.

Diante do exposto, a OAB-RS reafirma sua crença de que existem inúmeros agentes públicos sérios que conseguem ser eficientes agindo dentro da lei. Entendimentos em contrário disto serão, em tempos éticos, coisas do passado.

Por fim, lembra ainda aos detratores da advocacia que jamais admitirá que mentiras e falácias sejam vendidas como verdades.

Colégio de Presidentes das 106 Subseções da OAB-RS”.

Leia na base de dados do Espaço Vital

Erro histórico da Ordem dos Advogados - Por Sérgio Hiane Harris, presidente da Associação do Ministério Público do RS.


Comentários

Jose Valmir Da Costa - Advogado 12.09.17 | 15:51:07
Conheço o promotor Sérgio Harris desde a mais tenra infância. Criado sob princípios de ética e honestidade. Seu sucesso na carreira comprova seu preparo intelectual e jurídico. Não entro no mérito das considerações dele nem dos colegas advogados, mas quero lembrar que o pai e a irmã do ilustre promotor são advogados. Não penso que sua invectiva não considerasse esse fato e, como bem diz a OAB, há maus profissionais em todas as atividades. A esses, provavelmente, seria endereçado o teor da nota oficial.
Aldo Ghisolfialdo Da Luz Ghisolfi - Advogado 12.09.17 | 10:30:47
Certamente, o 'parquet' é um advogado que não deu certo! Isso acontece...
Michel Andreo Mastrangelo - Advogado 12.09.17 | 10:30:30
O promotor Harris perdeu uma boa oportunidade para ficar calado. Se tivesse tempo disponível, poderia melhor usado minutos, horas e dias para ir atrás de verdades insepultas do caso da boate Kiss. E, em relação à OAB, poderia no mínimo ter sido mais elegante.
Saulo Gonçalves Amatto - Advogado 12.09.17 | 10:23:34
O presidente da AMP-RS, tal qual aquele desembargador que se referiu aos "advogados de porta de cadeia" , agiu com incontinência verbal. Suas estultices o fazem merecedor das críticas da honrada maciça maioria da advocacia gaúcha.
Peter Andersen Cavalcanti - Advogado 12.09.17 | 10:02:13
Sou advogado e concordo com a manifestação do promotor de justiça. Toda e qualquer classe profissional deve zelar pela boa reputação e prestação da atividade e não medir esforços para afastar profissionais que se valem da atividade ou prerrogativas para prejudicar o normal andamento especialmente no caso de processos judiciais. Faça a sua parte OAB, porque não são poucos os casos como o narrado pelo promotor.
Banner publicitário

Notícias Relacionadas