Ir para o conteúdo principal

Edição terça-feira , 17 de julho de 2018.

Assédio no quartel



Charge de Gerson Kauer

Imagem da Matéria

A simpática, e recém recrutada, aluna da Brigada Militar concluiu o curso de soldado e foi engajada para servir em média cidade gaúcha. Já nas primeiras jornadas – tanto pela afeição ao trabalho, como por seu rostinho angelical - ela chamou a atenção do seu superior hierárquico.

Nessa conjunção, o tenente começou a favorecer a soldado nas melhores escalas: tinha horário aliviado, ficava no conforto da sala de monitoramento, ficava distante do enfrentamento com bandidos e raramente atuava em uma viatura com ar condicionado.

Não demorou e vieram elogios repetitivos: “Tu estás cada vez mais querida, bonita e gostosa”.

E não faltaram insinuações do tipo “se tu quiseres, podes te transformar no meu anjinho celestial”.

A soldado avisou os colegas mais próximos e o namorado; todos ficaram de olho no tenente. Este, culminou os despropósitos enviando insistentes achegas via celular.

Um dia, o comando do quartel foi informado, abriu-se sindicância interna e o tenente assediador teve formal repressão anotada em seus assentamentos.

Veio então a mudança de atitude. O tenente esqueceu a admiração que tinha pela soldado; mas ela continuou como subordinada dele. Porém, passou a ser escalada para patrulhamentos a pé, principalmente nos dias caniculares. E por aí se foram os despropósitos, até que uma ação por dano moral aportou no fórum.

Ouviram-se testemunhas que, entre outras coisas, afirmaram que “ele é um carrasco”, “já tinha assediado outras”. E assim o juiz sentenciou condenando o tenente e o Estado do RS, solidariamente, ao pagamento de indenização (R$ 15 mil).

Há poucos dias transitou em julgado o acórdão da apelação, que admitiu “demonstrado o assédio moral/sexual perpetrado pelo superior hierárquico da autora, tanto que punido na carreira por comentários indecorosos e descabidos contra a subordinada”.

Na semana passada, começou a fase de cumprimento da sentença. No recinto forense, o militar assediador ganhou um codinome pinçado de um dos adjetivos da prova testemunhal: “o tenente tarado”.


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Charge de Gerson Kauer

Pensão alimentícia de ministro do STF

 

Pensão alimentícia de ministro do STF

Numa ação de alimentos, de uma menina de 4 anos, contra um dos craques da seleção brasileira, uma curiosa decisão inicial: a fixação da obrigação mensal de R$ 37.476, “o valor do maior subsídio pago a um ministro do Supremo Tribunal Federal”.

Charge de Gerson Kauer

Plano empregatício de gravidez programada

 

Plano empregatício de gravidez programada

Numa empresa em que a predominância de trabalhadores é feminina, insólitas planilhas baixadas pelos patrões. A interferência na autonomia das mulheres, a respeito de seus projetos de vida, de felicidade e dos desejos dos seus corpos.Quem pretender engravidar “deverá comunicar seis meses antes da data provável da desejada concepção”.

Charge de Gerson Kauer

Prêmio para o magistrado

 

Prêmio para o magistrado

O juiz recém instalado na comarca vai ao restaurante mais famoso da cidade, que é de propriedade de ativo advogado. O magistrado pede o famoso “leitão da casa” para recepcionar, no almoço dominical, sua noiva e os pais dela. Então, a chocante surpresa: algo de estranho no recheio do opíparo quitute... O que acontece depois? A história é contada pelo advogado Carlos Alberto Bencke.

Charge de Gerson Kauer

O “Livro do Juiz”

 

O “Livro do Juiz”

O “Doutor Inclemente”, magistrado circunspecto, às vezes trata seus auxiliares com rispidez. Ele tem um estranho hábito: em todas as suas atividades e aparições – inclusive as protocolares – ele leva às mãos um livro cujo título tem letras graúdas. É o VADE MECUM.

Charge de Gerson Kauer

   Justiça pelos próprios gritos

 

Justiça pelos próprios gritos

O cidadão cinquentão, divorciado, estressado pelo excesso de trabalho, vai em busca de novidades sexuais. Na hora da despedida, desacerta-se financeiramente com os prestadores do serviço. Na semana seguinte, os credores procuram o Juizado Especial Cível. Mas tudo é pura ficção da “rádio-corredor” forense.

Charge de Gerson Kauer

Distribuição de chupeta (s)

 

Distribuição de chupeta (s)

A entrega de chupeta a um médico que, em audiência, se opunha à pensão alimentícia que teria que pagar. Mas - segundo a “rádio-corredor” forense - os bicos ortodônticos também eram oferecidos pelo juiz a advogados com quem ele estaria em linha de confronto jurídico.