Ir para o conteúdo principal

Edição sexta-feira , 20 de julho de 2018.

Fui assaltado nos degraus do Palácio da Justiça!



Porto Alegre, 18 de maio de 2017.

Ao
Espaço Vital

Fui assaltado nos degraus do Palácio da Justiça, no dia 16 de maio de 2017, às 17h45. De pronto, entrei no prédio e pedi para assistir as imagens das câmeras.

A sensação é indescritível: ver e rever aquela situação pela qual passei. Os seguranças foram muito solícitos.

Após, procurei a Brigada Militar, e ao atravessar a Praça da Matriz deparei-me com três PMs, que também foram muito prestativos e viram as imagens no vídeo. Mas ninguém foi preso.

Nessas ocasiões, sair vivo é lucro. Porém, o coração de um idoso (69 anos) fica cada vez mais sequelado.

Não há falta de segurança, o que há é excesso de bandidos.

Até quando? Cuidemo-nos!

Atenciosamente,

Edgar Granata, advogado (OAB-RS nº 8.388).
egargrata@gmail.com


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Arte de Camila Adamoli

   Para quem gosta de tartarugas

 

Para quem gosta de tartarugas

“Pelo menos um mês para juntar uma simples petição - e depois, só Deus sabe quanto tempo, para publicar o despacho”. E o desabafo de um advogado porto-alegrense: “o que será de nós, que dependemos destes criatórios de tartarugas para ganhar o pão de cada dia?”.

Juíza gaúcha nega a aplicação de lei que isenta custas em execução de honorários

Magistrada invoca precedentes antigos de 2011 e 2015. Um deles sustenta que “a natureza alimentar dos honorários não vai ao ponto de que se lhes possa estender os privilégios atribuídos ao crédito alimentar decorrente do vínculo familiar. A ser assim, em breve estaríamos autorizando a prisão de quem não pague honorários advocatícios”.