Ir para o conteúdo principal

Edição antecipada 21-22 de junho de 2018.

Manutenção, ou não, de ex-empregado em plano de saúde coletivo custeado pela empregadora?



O ministro Villas Bôas Cueva, do STJ, determinou a afetação de dois recursos especiais para julgamento sob o rito dos recursos repetitivos.

Cadastrada no sistema de repetitivos do tribunal como Tema nº 989, a controvérsia jurídica dos recursos está em “definir se o ex-empregado aposentado ou demitido sem justa causa faz jus à manutenção no plano de saúde coletivo empresarial quando, na atividade, a contribuição foi suportada apenas pela empresa empregadora”.

Até o julgamento e a definição da tese pela 2ª Seção, foi determinada a suspensão do trâmite de todos os processos pendentes, individuais ou coletivos, que versem sobre a mesma controvérsia em todo o território nacional, excetuada a concessão de tutelas provisórias de urgência, quando presentes seus requisitos.

O novo CPC/2015 regula no artigo 1.036 e seguintes o julgamento por amostragem, mediante a seleção de recursos especiais que tenham controvérsias idênticas. Ao afetar um processo, ou seja, encaminhá-lo para julgamento sob o rito dos recursos repetitivos, os ministros buscam facilitar a solução de demandas que se repetem nos tribunais brasileiros. (REsps nºs 1.680.318 e 1.708.104)


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Sobrevida gaúcha até os 94 de idade

Decisão do TJRS em caso de idoso (85 anos) - que morreu vítima de atropelamento – condenou a seguradora a pagar à viúva (idade atual: 90) o pensionamento até a data em que o falecido esposo completaria 94 de idade. A média de vida mais alta no Brasil, atualmente, é em Santa Catarina.

Arte de Camila Adamoli

A suprema tartaruga e as amigas da Corte

 

A suprema tartaruga e as amigas da Corte

Oriundo do TJRS, chegou ao STF em outubro de 2010 um recurso extraordinário que se transformou em paradigma para milhares de processos sobrestados, país afora: o aumento abusivo das mensalidades dos planos de saúde dos idosos. Veja o que aconteceu em sete anos.