Ir para o conteúdo principal

Terça-feira , 28 de Junho de 2016.

Entrementes, magistrados discutem como melhorar a imagem do Judiciário



Ocorreu na manhã de sexta-feira (24) a solenidade de lançamento do rograma "Valorização dos magistrados: juiz valorizado, justiça completa". É uma iniciativa do CNJ, para juízes e desembargadores da região Centro-Oeste (Goiás, Distrito Federal, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul).

O evento ocorreu na sede da Associação dos Magistrados do Estado de Goiás (Asmego), em Goiânia. Os participantes discutiram formas de melhorar a imagem dos magistrados junto à sociedade e, ao mesmo tempo, dar prioridade à qualidade do trabalho por eles executado, não apenas à quantidade.

A abertura do evento contou com a exibição de um vídeo com mensagem do presidente do CNJ e do STF, ministro Ayres Britto, que chamou a atenção para "a redução do interesse pelo ingresso na magistratura, provocada, em grande parte, por defasagens remuneratórias em relação a outras carreiras".

“De fato, é preciso valorizar o Poder Judiciário, que passa por um processo, por uma quadra temerária de desprofissionalização no plano remuneratório. Mesmo pelo seu segmento de magistrados, remunerados por subsídio, o Judiciário já não é a carreira atraente de antes”,
afirmou Ayres Britto.

O programa foi lançado pelo conselheiro José Lucio Munhoz, presidente da Comissão Permanente de Eficiência Operacional e Gestão de Pessoas do CNJ.

Ele disse que "o programa surgiu da verificação do problema da má compreensão da coletividade em face do trabalho do magistrado". Surgiu também da percepção de que "o juiz hoje é um profissional sobrecarregado de trabalho e sem estrutura adequada, pressionado por uma estrutura interna que privilegia a quantidade e não a qualidade do trabalho do profissional". (Com informações da Agência CNJ de Notícias).

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Aumento das custas processuais no RS chega a até 500%

Conselho Seccional da OAB gaúcha estuda ajuizamento de ação direta de Inconstitucionalidade contra a Lei Estadual nº 14.634/14. Conforme dados do CNJ, o Estado do RS, na condição de parte, é o principal litigante na Justiça Estadual. Mas é isento do pagamento de custas.

Charge de Gerson Kauer

Felizardos governadores e suas generosas aposentadorias

 

Felizardos governadores e suas generosas aposentadorias

O Espaço Vital tem nova pauta editorial fixa: na última sexta-feira de cada mês, a abordagem de ´processos-tartarugas´, ou que estejam com pedidos de vista que se transformaram em ´peRdidos de vista´. Começamos hoje com a ação da OAB, ajuizada no STF em 2011, pedindo o fim da imoral pensão vitalícia para ex-governadores. O ministro Ricardo Lewandowski está com o processo há quatro anos e quatro meses.

Reação contra o assédio judicial

A Associação Nacional de Jornais vai premiar cinco jornalistas alvos de ações em série, desencadeadas por magistrados do Paraná. São, até agora, 44 processos semelhantes.

O reconhecimento da venda de sentença!

STF mantem decisão do CNJ que aplicou pena – com salários garantidos... - de aposentadoria a magistrado acusado de “falta funcional, incompatível com a dignidade, a honra e o decoro das funções jurisdicionais”