Ir para o conteúdo principal

Terça - feira, 22 Agosto de 2017

Entrementes, magistrados discutem como melhorar a imagem do Judiciário



Ocorreu na manhã de sexta-feira (24) a solenidade de lançamento do rograma "Valorização dos magistrados: juiz valorizado, justiça completa". É uma iniciativa do CNJ, para juízes e desembargadores da região Centro-Oeste (Goiás, Distrito Federal, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul).

O evento ocorreu na sede da Associação dos Magistrados do Estado de Goiás (Asmego), em Goiânia. Os participantes discutiram formas de melhorar a imagem dos magistrados junto à sociedade e, ao mesmo tempo, dar prioridade à qualidade do trabalho por eles executado, não apenas à quantidade.

A abertura do evento contou com a exibição de um vídeo com mensagem do presidente do CNJ e do STF, ministro Ayres Britto, que chamou a atenção para "a redução do interesse pelo ingresso na magistratura, provocada, em grande parte, por defasagens remuneratórias em relação a outras carreiras".

“De fato, é preciso valorizar o Poder Judiciário, que passa por um processo, por uma quadra temerária de desprofissionalização no plano remuneratório. Mesmo pelo seu segmento de magistrados, remunerados por subsídio, o Judiciário já não é a carreira atraente de antes”,
afirmou Ayres Britto.

O programa foi lançado pelo conselheiro José Lucio Munhoz, presidente da Comissão Permanente de Eficiência Operacional e Gestão de Pessoas do CNJ.

Ele disse que "o programa surgiu da verificação do problema da má compreensão da coletividade em face do trabalho do magistrado". Surgiu também da percepção de que "o juiz hoje é um profissional sobrecarregado de trabalho e sem estrutura adequada, pressionado por uma estrutura interna que privilegia a quantidade e não a qualidade do trabalho do profissional". (Com informações da Agência CNJ de Notícias).

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Reprodução Facebook

“O machismo mata”!

 

“O machismo mata”!

A afirmação é de duas associações de magistrados, em nota sobre o assassinato de uma juíza, a tiros, pelo marido – delegado de polícia em SP. Ele se suicidou em seguida. O casal (Cláudia e Cristian) aparece nesta foto, em perfil no Facebook.

Um breque no Fitness Jurídico

Excelências não vão mais entrar em forma. O TRT da Bahia suspende a licitação para o assessoramento de magistrados e servidores em preparação para corridas e caminhadas.

Desagravo a advogada gaúcha ofendida em suas prerrogativas

Magistrado da Justiça estadual cassou a palavra da profissional da advocacia, “sob o argumento de manter a ordem dos trabalhos, passando posteriormente a homologar um acordo sem permitir-lhe a intervenção”.

Juiz é condenado por apropriação de bens de Eike Batista

Pena é de oito anos de prisão. Magistrado federal Flavio Roberto de Souza recolheu ao condomínio onde morava, o Porsche apreendido do empresário. A sentença diz que o acusado “revelou-se um hipócrita”.