Ir para o conteúdo principal

Quarta-feira , 03 de Fevereiro de 2016

O repouso de Barbosa e Mendes; e a saída de Cármen Lúcia



Jornais e saites brasileiros repercutiram, ontem (7) imagens do dia anterior (6, segunda-feira), quando os ministros Joaquim  Barbosa e Gilmar Mendes cederam ao cansaço e por alguns minutos fecharam os olhos. "Dormiram!" - avaliaram alguns.

"Não! Estão apenas repousando" - disseram outros. E houve também quem sustentasse que, atentos, mas de olhos fechados, os dois escutavam as sustentações, ora interessantes, ora fastidiosas.

Ontem, o frisson foi a ausência temporária da ministra Cármen Lúcia. Os ministros do STF indeferiram por unanimidade o pedido realizado pelo advogado José Carlos Dias, defensor da ré Kátia Rabello.

Na abertura da segunda parte da sessão o advogado alegou a impossibilidade de prosseguimento da sessão devido à ausência da ministra Cármen Lúcia Antunes Rocha.

No encerramento da primeira parte da sessão, antes do intervalo, a ministra anunciou ao plenário que se ausentaria para se dirigir ao Tribunal Superior Eleitoral, corte por ela presidida, e, em seguida, anunciou que assistiria às gravações das sustentações orais que se seguiriam.

O presidente do STF, Ayres Britto, argumentou que, mesmo com a ausência da ministra Cármen Lúcia, o plenário manteria o quórum regimental para deliberar. Destacou que a própria ministra fizera questão de dizer que "se inteiraria das sustentações orais fazendo uso da gravação da sessão".

Ao submeter o pedido do advogado à Corte, o ministro presidente adiantou que se pronunciava pelo indeferimento do pleito, sendo que foi acompanhado pelos demais ministros.

O advogado José Carlos Dias foi, depois, queixar-se ao presidente nacional da OAB.


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

O retorno da rotina do Espaço Vital no dia 12

 

O retorno da rotina do Espaço Vital no dia 12

Corre na rádio-corredor da OAB, em Brasília, um alerta feito a advogados que gostam de viajar: devem acautelar-se para que suas moradias não sejam invadidas por empreiteiros da construção civil...

Vinho na cara!

 

Vinho na cara!

Um acontecimento insólito em jantar de confraternização (?) entre políticos de Brasília: surpreendida com uma brincadeira (?) que não a agradou, a ministra da Agricultura, Kátia Abreu, lança no rosto do senador José Terra o conteúdo bordô de uma taça do (caríssimo) vinho italiano Barolo.

Lembrem-se deles!

Anúncio publicado em vários jornais brasileiros lembra quem são os 21 deputados federais que estão a favor da volta da CPMF. Entre eles, os gaúchos Paulo Pimenta (PT) e Pompeu de Mattos (PDT-RS). Dilma sustenta que “a nova CPMF não será para gastar, mas, sim, para crescer”...

Surpresa no mercado das bolas

Revista portuguesa revela ligações íntimas entre o craque Cristiano Ronaldo e o marroquino Badr Hari, praticante de artes marciais. Festa em Agadir, no Marrocos, teria custado 1,5 milhão de euros.