Ir para o conteúdo principal

Terça-feira , 03 de Maio de 2016.

O sutiã e o Código do Consumidor



Romance forense

Charge de Gerson Kauer

Imagem da Matéria


Há mais de 100 anos uma mulher chamada Mary Phelps Jacob patenteou nos Estados Unidos o sutiã. A invenção tinha o objetivo de acomodar o seio, possibilitando moldá-lo, diminuí-lo, escondê-lo ou exibi-lo. Transformou a coadjuvante ´roupa de baixo´ em protagonista do figurino da mulher com lingeries sensuais.

Antes escondido, hoje é usado até como roupa de cima. Porém, há poucos dias, em 17 de Julho de 2012, o Departamento de Arqueologia da Universidade de Innsbruck na Austria, descobriu a peça íntima nos porões de um castelo da região austriáca de Lengberg. A descoberta dá a entender que a história da moda deve ser reescrita: o primeiro sutiã seria coisa já da época da Renascença, período histórico de caráter social e cultural dos séculos XIV, XV e XVI.

A Justiça gaúcha, neste século, já tratou do caso de um sutiã.

*  *  *  *  *

A advogada caprichava na vestir e, presumivelmente, na variedade de roupas íntimas. Mas - talvez em decorrência de verbas sucumbenciais tão baixas - não costumava comprar produtos caros, nem de grife. Conformava-se - digamos - com um grande estoque de calcinhas e sutiãs de preço médio. Todos regionais.

Certo dia, ela malhava na academia quando constatou que a parte da frente de sua camiseta ´dry fit´ estava  manchada  de sangue. Os mamilos estavam esfolados. Foi, rápido, à sua médica que atestou que “o sangramento foi provocado por escoriações do atrito do sutiã, com ambos os seios, durante o exercício físico”.
 
O caso foi a juízo. A advogada verberou o "defeito do produto". E a fabricante suscitou “a viabilidade de a peça ter sido falsificada por empresa concorrente”, com o uso indevido de etiqueta.

A juíza sentenciante entendeu pela “inexistência do defeito no produto, principalmente em face do interregno entre a aquisição do sutiã e a data em que os problemas se verificaram (quatro meses), ainda que naturalmente o uso da peça não tenha sido contínuo nem diário". O TJ gaúcho foi chamado a decidir.

A Câmara entendeu que “o conceito de defeito é amplo e a responsabilidade pelo fato do produto está tipificada no artigo 12 do CDC”. O relator mencionou, na sessão, extra-autos, ter conversado com sua esposa sobre a possibilidade da ocorrência do esfolamento. E considerou comprovado “o nexo de causalidade entre a aquisição do produto, seu uso e as lesões sofridas”.

A reparação deferida foi de 30 salários mínimos. O STJ recebeu um agravo e descartou o caso (Súmula 7). A condenação foi paga. A fabricante aprimorou seus produtos, hoje anunciados como de "primeira qualidade".
 
A advogada continua malhando e é provável que tenha passado a usar sutiãs de grife.

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Charge de Gerson Kauer

Petição de falecimento

 

Petição de falecimento

Para defender seu cliente, erradamente alvo de uma citação com hora certa, o advogado não poupou críticas ao auxílio-moradia dos magistrados e ao poder dos estagiários. Quanto ao efetivo executado, a petição foi candente: “a robustecida alma do pobre devedor, ora se banha na estanhada lisura das águas tépidas do luzente lago, onde o cisne do espírito se nutre naquilo que, comumente, chamamos de eternidade”.

Charge de Gerson Kauer

Escapadinha no motel

 

Escapadinha no motel

Casal sem filhos, o Péricles e a Luiziana viviam bem, no seu casamento de três anos. Mas, um dia, se desavieram; ela saiu de casa e foi morar com a mãe. Era uma separação de fato. Foi então que ela reencontrou um ex-namorado e resolveu recordar profundas intimidades. O desfecho foi no WhatsApp.

Charge de Gerson Kauer

A mulher do padre

 

A mulher do padre

Ela cuidava do religioso e das coisas da igreja desde 1973. Eles frequentavam, juntos, assembleias religiosas, jantares, eventos, aniversários, etc. Em 1994, os dois passaram a morar sob o mesmo teto.

Charge de Gerson Kauer

Promotorite vexaminosa

 

Promotorite vexaminosa

Os operadores jurídicos estão intrigados com o agir do único promotor de justiça da comarca. Ele dirige seu carro usando um capacete, como se fosse piloto de Fórmula 1. Quando almoça ou janta em restaurantes, sempre determina que seus acompanhantes, antes, provem sua comida e bebida, com medo de ser envenenado.

Charge de Gerson Kauer

O Excelentíssimo Juiz Justimiano

 

O Excelentíssimo Juiz Justimiano

Empossado e designado para uma comarca interiorana, o magistrado logo decidiu manter-se afastado de maior contato com advogados. Estes seriam recebidos, fora das audiências, apenas nas quintas-feiras, das 18 às 18h30. Em casa, a esposa do juiz – quando recebia suas amigas - referia-se a ele como “Sua Excelência”.

Charge de Gerson Kauer

A porta de entrada e a porta de saída

 

A porta de entrada e a porta de saída

Certa vez, o cantor Roberto Carlos foi a uma missa católica em Los Angeles, e passou tempo demais rezando. O padre encerrou a cerimônia, quase todos saíram, as luzes foram sendo apagadas, ficaram só Roberto e o sacristão. Foi então que este fechou a porta principal da igreja...