Ir para o conteúdo principal

Quinta-feira , 23 de Fevereiro de 2017

Xuxa com roupa, ou sem roupa?



Imagem da Matéria

* Com roupa - A 16ª Câmara Cível do TJ do Rio manteve antecipação de tutela obtida por Xuxa que proíbe a TV Record de exibir fotos dela sem roupa em seus programas ou saites. Cada descumprimento custará à emissora multa de R$ 1 milhão por exibição.

* Sem roupa - Diz um ditado que "cada cabeça, uma sentença". Com efeito, na semana passada a Google Brasil conseguiu reverter no STJ a decisão da Justiça carioca que fixara multas de R$ 20 mil para cada link, foto ou vídeo que fosse encontrado ligando  Xuxa a sexo ou pedofilia.

Os links surgiram a partir das imagens de "Amor Estranho Amor", filme de 1982, em que a fulgurante Xuxa interpreta uma personagem que mantem relação sexual com um adolescente. Pelas contas de defesa apresentadas pelo advogado da Google, a multa poderia até mesmo ultrapassar o valor de mercado da empresa.

Com a nova decisão não só foi derrubada a multa, como os ministros abriram um precedente. Pela primeira vez o STJ entendeu que um saite de busca não pode ser responsabilizado por encontrar conteúdos de terceiros.

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Romero Jucá diz que “foro não pode ser suruba selecionada

Líder do governo no Congresso reage à disposição de ministros do STF de restringir a prerrogativa de políticos no “foro privilegiado”. E parlamentares – em apoio ao senador de Roraima - ameaçam tirar benefício dos magistrados.

Frases irreprimíveis da semana passada

“Juiz de Direito não é editor de órgão de imprensa” – diz desembargador do TJ-DFT, ao cassar decisão de censura judicial às publicações de jornais sobre o hacker que clonou o celular de Marcela Temer.

Censura judicial sobre os jornais O Globo e Folha de SP

Ação foi movida na sexta-feira pelo subsecretário de assuntos jurídicos da Presidência da República, brecando publicação de matérias sobre extorsão de hacker a Marcela Temer. Liminares foram cumpridas ontem (13).

O machismo que constrangeu Ellen Gracie no Senado

Enquanto Alexandre de Moraes (PMDB-SP) faz o périplo do “beija-mão” para chegar ao Supremo, jornalistas de boa memória recordam os constrangimentos passados por Ellen Gracie, em novembro de 2000. O então senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR) – médico de profissão – saudou-a dizendo que “como ginecologista, aprendi a lidar de perto com as mulheres, entendendo muito profundamente a sensibilidade feminina".