Ir para o conteúdo principal

Terça-feira , 03 de Maio de 2016.

STJ dá critérios para apuração de haveres em retirada de sócio



A 4ª Turma do STJ, por maioria, ao julgar o REsp 958.116-PR, entendeu que a repercussão econômica do renome de um dos sócios não integra o cálculo na apuração de haveres em dissolução parcial de sociedade simples composta por profissionais liberais.

Para os ministros, o renome é atributo personalíssimo, intransferível, fora do comércio e não indenizável a título de fundo de comércio. O renomado, ao deixar a sociedade, leva consigo todos os benefícios dessa circunstância.

Decidiram os julgadores, ainda, que a apuração de haveres em sociedades simples de profissionais liberais deve seguir o art. 1.031 do CC, como se a sociedade fosse extinta, e o valor apurado deve ser dividido entre os sócios. Já quando se tratar de alienação de sociedade empresária, procede-se mediante apuração dos bens atuais mais a previsão de lucros.


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Duas novidades do STJ

Em recurso repetitivo, tribunal dispõe sobre o protesto realizado por tabelionato de comarca diversa do domicílio do devedor. E determina a restituição, à administração pública, de proventos depositados por engano a servidor público falecido.

Novamente, velhos golpes sobre vitórias em processos judiciais

O STJ publicou alerta sobre cartas e telefonemas partidos de supostos escritórios de advocacia, que dão notícias sobre processos verdadeiros. Mas que, falsamente, incluem pessoas que não foram partes em ações vitoriosas envolvendo a Capemi e cadernetas de poupança.