Ir para o conteúdo principal

Terça -feira ,06 de Dezembro de 2016.

STJ dá critérios para apuração de haveres em retirada de sócio



A 4ª Turma do STJ, por maioria, ao julgar o REsp 958.116-PR, entendeu que a repercussão econômica do renome de um dos sócios não integra o cálculo na apuração de haveres em dissolução parcial de sociedade simples composta por profissionais liberais.

Para os ministros, o renome é atributo personalíssimo, intransferível, fora do comércio e não indenizável a título de fundo de comércio. O renomado, ao deixar a sociedade, leva consigo todos os benefícios dessa circunstância.

Decidiram os julgadores, ainda, que a apuração de haveres em sociedades simples de profissionais liberais deve seguir o art. 1.031 do CC, como se a sociedade fosse extinta, e o valor apurado deve ser dividido entre os sócios. Já quando se tratar de alienação de sociedade empresária, procede-se mediante apuração dos bens atuais mais a previsão de lucros.


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Cresce número de estagiários com mais de 40 anos

Em Mato Grosso, 6.504 pessoas se habilitaram no Poder Judiciário do Estado, sendo 224 acima da casa dos 40 anos; desses, 44 foram aprovados. O índice de candidatos com mais idade cresceu 15% de 2014 para 2015; e 21% em 2016.

Veja o vídeo em que presidente da AMP-RS ataca a OAB

Gravação feita durante evento organizado pela Ajuris mostra também a afirmação feita pelo promotor Sérgio Hiane Harris, dizendo que o prefeito eleito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Júnior “votou a favor da corrupção”.

Improbidade administrativa de duas estagiárias

Elas iludiam clientes da Caixa Federal, para fazer saques ilícitos em contas-correntes. O STJ definiu que “os estagiários que atuam em órgãos e entidades públicas, ainda que de modo transitório, com ou sem remuneração, podem ser classificados como agentes públicos”.