Ir para o conteúdo principal

Terça-feira, 28 de Março de 2017

STJ dá critérios para apuração de haveres em retirada de sócio



A 4ª Turma do STJ, por maioria, ao julgar o REsp 958.116-PR, entendeu que a repercussão econômica do renome de um dos sócios não integra o cálculo na apuração de haveres em dissolução parcial de sociedade simples composta por profissionais liberais.

Para os ministros, o renome é atributo personalíssimo, intransferível, fora do comércio e não indenizável a título de fundo de comércio. O renomado, ao deixar a sociedade, leva consigo todos os benefícios dessa circunstância.

Decidiram os julgadores, ainda, que a apuração de haveres em sociedades simples de profissionais liberais deve seguir o art. 1.031 do CC, como se a sociedade fosse extinta, e o valor apurado deve ser dividido entre os sócios. Já quando se tratar de alienação de sociedade empresária, procede-se mediante apuração dos bens atuais mais a previsão de lucros.


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Presidente do TRF-4 mantém proibição da campanha sobre a Reforma da Previdência

Decisão refere que “as veiculações publicitárias contestadas na ação civil pública ajuizada por sindicatos gaúchos focam na necessidade de se realizar a reforma, não adentrando especificamente nas profundas mudanças sugeridas aos direitos e deveres dos segurados dos diversos regimes previdenciários existentes”.

Políticos abusados inventam seis “súmulas

Para este 2017, o Congresso Nacional soma um orçamento de R$ 10,2 bilhões. Conforme a ONG Contas Abertas, o total equivale a R$ 28 milhões por dia, mais de um milhão por hora. Entrementes, basta uma noite para que políticos derrubem a operação Lava Jato. Relembre os seis verbetes sobre os golpes que o Congresso prepara contra o eleitor e o contribuinte.

Prefeito gay se casa com parceiro

“Fizemos questão desse momento para dizer a todos que nos amamos. Corrupção é feio, lavagem de dinheiro é feio, mas o amor é muito bonito” - discursou o prefeito (de óculos e barba).

O deputado em lugar bem sabido

Juíza revoga sua própria decisão que determinara a citação por edital de Edegar Pretto, presidente da AL-RS. Ação popular – com jeito de tartaruga - já tem um ano e um mês de existência.