Ir para o conteúdo principal

Terça-feira ,27 de Setembro de 2016.

Embargos infringentes em honorários sucumbenciais



A Corte Especial do STJ, ao apreciar o recurso especial repetitivo 1.113.175-DF, decidiu que cabem embargos infringentes quando o acórdão houver reformado, em grau de apelação e por maioria de votos, a sentença de mérito no tocante aos honorários advocatícios.

No entendimento da maioria dos ministros, o art. 530 do CPC condiciona o cabimento dos embargos infringentes à existência de sentença de mérito reformada por acórdão não unânime, e não que o objeto da divergência seja o próprio mérito tratado na sentença reformada.

Desse modo, a lei não restringe o cabimento do recurso apenas à questão de mérito da causa e entendimento contrário criaria restrição não prevista na norma.

Além disso, segundo o STJ, o arbitramento dos honorários não é questão meramente processual, porque tem reflexos imediatos no direito substantivo da parte e de seu advogado. Honorários advocatícios decorrem de pedido expresso ou implícito de uma parte contra o seu oponente, formando um capítulo de mérito da sentença, embora acessório e dependente.

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Determinação judicial para que Banrisul, Banco do Brasil e Caixa Federal normalizem pagamentos de alvarás

Depois do impasse entre o juiz substituto Guilherme da Rocha  Zambrano e a OAB-RS, a magistrada titular da 13ª Vara do Trabalho concede tutela parcial.  Julgado determina que, a partir de hoje (27), Banrisul, BB e CEF assegurem o atendimento aos advogados e jurisdicionados. A ordem é “viabilizar o cumprimento  da compensação de alvarás judiciais de pagamento, nos postos de atendimento e/ou agências existentes nos órgãos da Justiça Estadual, Federal e do Trabalho no RS”.

Possibilidade de fixação de honorários em liquidação de sentença coletiva

Indenização de R$ 49 milhões a ser paga pela Bayer a 700 agricultores. Decisão do STJ reconhece que se a liquidação e a execução são caminhos necessários para a obtenção do direito genericamente reconhecido na ação coletiva, a empresa também deve arcar com a sucumbência advocatícia.

STJ tranca ação penal contra advogado gaúcho

Magistrado da comarca de Caxias do Sul representou ao Ministério Público alegando ter sido caluniado. Rota de colisão entre os dois operadores jurídicos já teve anterior desagravo público concedido pela OAB-RS ao profissional da advocacia.