Ir para o conteúdo principal

Edição de Terça-feira, 17 de abril de 2018.

Embargos infringentes em honorários sucumbenciais



A Corte Especial do STJ, ao apreciar o recurso especial repetitivo 1.113.175-DF, decidiu que cabem embargos infringentes quando o acórdão houver reformado, em grau de apelação e por maioria de votos, a sentença de mérito no tocante aos honorários advocatícios.

No entendimento da maioria dos ministros, o art. 530 do CPC condiciona o cabimento dos embargos infringentes à existência de sentença de mérito reformada por acórdão não unânime, e não que o objeto da divergência seja o próprio mérito tratado na sentença reformada.

Desse modo, a lei não restringe o cabimento do recurso apenas à questão de mérito da causa e entendimento contrário criaria restrição não prevista na norma.

Além disso, segundo o STJ, o arbitramento dos honorários não é questão meramente processual, porque tem reflexos imediatos no direito substantivo da parte e de seu advogado. Honorários advocatícios decorrem de pedido expresso ou implícito de uma parte contra o seu oponente, formando um capítulo de mérito da sentença, embora acessório e dependente.

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Maiara & Maraísa jurisdicional

Advogado paulista se aborrece com verba sucumbencial de R$ 50 e diz em recurso que espera que o juiz sentenciante não esteja inspirado em música cantada por dupla que evoca uma “dor de cotovelo”. E no RS, o TJ aumenta honorários de R$ 6,99 para R$ 1.000.

Escritórios de advocacia não pagam anuidade à OAB

Liminar em mandado de segurança refere que “o registro das sociedades de advogados é ato que confere personalidade jurídica a elas, não podendo ser confundido com o registro de advogados, este sim sujeito ao pagamento de anuidades”.