Ir para o conteúdo principal

Terça-feira ,27 de Setembro de 2016.

Aplauso com uma mão só



Arguta observação ambiental do colunista Ancelmo Gois, de O Globo, sobre o movimento contra o projeto do Código Florestal aprovado no Congresso, mas vetado parcialmente por Dilma. O jornalista relata que Camila Pitanga - que quebrou o protocolo ao dirigir à presidenta o apelo "Veta, Dilma" - não se contentou com a decisão do veto de apenas alguns pontos: “O que estava péssimo ficou apenas ruim" - diz a artista. Para Camila, a situação é nebulosa: "Melhoraram o que já estava péssimo, mas o resultado continuou ruim. Veto parcial é como aplauso com uma mão só".

Em tempo: Camila, poucos sabem, integra o conselho consultivo da ONG ambientalista WWF.

O Espaço Vital complementa: o presidente emérito da WWF é o ambientalista Paulo Nogueira Neto; o presidente é Alvaro Antonio Cardoso de Souza, presidente da Gol. Entre os 19 líderes da entidade estão dois gaúchos: o empresário José Pedro Sirotsky (vice-presidente de marketing e arrecadação) e a publicitária Lalá Aranha (conselheira).

O WWF-Brasil trabalha para reduzir o impacto da ação do homem na natureza com objetivo de harmonizar a atividade humana e a conservação da biodiversidade, promovendo o uso racional dos recursos naturais em benefício dos cidadãos de hoje e das futuras gerações.

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Crítica do TRT-4 a juiz: procedimento "arbitrário e ilegal, abdicando do respeito à lógica formal"

Um registro feito na página de notícias do saite oficial do TRT-4 (RS) há quase quatro anos (exatamente em 10.10.2012) - e reproduzido no mesmo dia pelo Espaço Vital - resume uma crítica a um próprio magistrado trabalhista gaúcho: "há flagrante abuso do poder regulamentar e manifesta ilegalidade, quando o juiz do Trabalho, com base em portaria por ele editada no âmbito da vara, restringe direito de advogado regularmente habilitado de ter seu nome em alvará judicial para o recebimento de valores oriundos de acordo homologado".

Feriado estadual no Rio Grande do Sul

A terça-feira (20) é feriado no Rio Grande do Sul. Evoca a Guerra dos Farrapos, ou Revolução Farroupilha foi como ficou conhecido o movimento de caráter republicano, contra o governo imperial do Brasil, na então província de São Pedro do Rio Grande do Sul. Resultou na declaração de independência da província como estado republicano, dando origem à República Rio-Grandense. Estendeu-se de 20 de setembro de 1835 a 1º de março de 1845.
Assim, nesta terça-feira, excepcionalmente, o Espaço Vital não circulará. Retornaremos com nossa edição normal na próxima sexta-feira (23).