Ir para o conteúdo principal

Terça -feira ,06 de Dezembro de 2016.

Aplauso com uma mão só



Arguta observação ambiental do colunista Ancelmo Gois, de O Globo, sobre o movimento contra o projeto do Código Florestal aprovado no Congresso, mas vetado parcialmente por Dilma. O jornalista relata que Camila Pitanga - que quebrou o protocolo ao dirigir à presidenta o apelo "Veta, Dilma" - não se contentou com a decisão do veto de apenas alguns pontos: “O que estava péssimo ficou apenas ruim" - diz a artista. Para Camila, a situação é nebulosa: "Melhoraram o que já estava péssimo, mas o resultado continuou ruim. Veto parcial é como aplauso com uma mão só".

Em tempo: Camila, poucos sabem, integra o conselho consultivo da ONG ambientalista WWF.

O Espaço Vital complementa: o presidente emérito da WWF é o ambientalista Paulo Nogueira Neto; o presidente é Alvaro Antonio Cardoso de Souza, presidente da Gol. Entre os 19 líderes da entidade estão dois gaúchos: o empresário José Pedro Sirotsky (vice-presidente de marketing e arrecadação) e a publicitária Lalá Aranha (conselheira).

O WWF-Brasil trabalha para reduzir o impacto da ação do homem na natureza com objetivo de harmonizar a atividade humana e a conservação da biodiversidade, promovendo o uso racional dos recursos naturais em benefício dos cidadãos de hoje e das futuras gerações.

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Veja o vídeo em que presidente da AMP-RS ataca a OAB

Gravação feita durante evento organizado pela Ajuris mostra também a afirmação feita pelo promotor Sérgio Hiane Harris, dizendo que o prefeito eleito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Júnior “votou a favor da corrupção”.

Cresce número de estagiários com mais de 40 anos

Em Mato Grosso, 6.504 pessoas se habilitaram no Poder Judiciário do Estado, sendo 224 acima da casa dos 40 anos; desses, 44 foram aprovados. O índice de candidatos com mais idade cresceu 15% de 2014 para 2015; e 21% em 2016.

Improbidade administrativa de duas estagiárias

Elas iludiam clientes da Caixa Federal, para fazer saques ilícitos em contas-correntes. O STJ definiu que “os estagiários que atuam em órgãos e entidades públicas, ainda que de modo transitório, com ou sem remuneração, podem ser classificados como agentes públicos”.