Ir para o conteúdo principal

Sexta-feira, 03 de Julho de 2015

Sentença que reconhece nulidade parcial do valor cobrado pelo autor serve de título executivo para o réu


A sentença em que o juízo de primeiro grau reconhece a existência da obrigação de pagar quantia certa pode prontamente ser executada com a condenação. A decisão é da 1ª Seção do STJ, ao julgar recurso especial da RGE Rio Grande Energia S/A que pretende receber, de consumidores, os  valores que não foram pagos em razão de fraude no medidor.

A decisão da 1ª Seção foi proferida em recurso que seguiu o rito das controvérsias repetitivas (artigo 543-C do Código de Processo Civil), o que orientará as demais decisões sobre a matéria em todo o país.

O caso é oriundo da comarca de Caxias do Sul. No caso, a concessionária RGE  interpôs recurso contra decisão da 21ª Câmara Cível do TJRS, que entendeu que a sentença proferida pelo juízo de primeiro grau tinha apenas eficácia declaratória e que oss valores deveriam ser buscados em ação própria e autônoma.
 
O julgado gaúcho concluiu ser impossível deferir o pedido da concessionária de cumprir o desfecho da demanda nos próprios autos.

A concessionária sustentou que a decisão do TJ gaúcho local afrontou os artigos 475, inciso I, e 475-N, inciso I, do Código de Processo Civil, ao não reconhecer a obrigação do devedor em cumprir a decisão relativa ao débito.
 
A sentença reconheceu a legalidade da dívida e declarou inexigível a cobrança de custo administrativo de 30% do cálculo de recuperação do consumo por parte da concessionária.

Segundo o relator, ministro Mauro Campbell, fica fácil ver na sentença que o juiz reconheceu a obrigação de o consumidor pagar a dívida. “Na hipótese em análise, o magistrado não se limitou a reconhecer a fraude no medidor” - disse o ministro - “mas a validar, no dispositivo do provimento judicial exequendo, parcela da própria cobrança extrajudicial levada a cabo pela concessionária”.
 
O advogado Márcio Louzada Carpena atua em nome da RGE.  (REsp nº  1261888).

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

A ´mulher sapiens´ presidencial

 

A ´mulher sapiens´ presidencial

Dilma Rousseff surpreendeu, esta semana, na abertura dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas, em Brasília, ao fazer uma saudação especial à mandioca e ao criar uma nova categoria na evolução humana: as ´mulheres sapiens´.  Foram dois momentos verborrágicos.

Foto Google Imagens

O estranho habeas corpus a favor de Lula

 

O estranho habeas corpus a favor de Lula

A cobertura jornalística, em todo o Brasil, das investigações da Operação Lava Jato foi afetada ontem (25), pelo que parece ser um factoide, notícia criada com o intuito de atrair a atenção da opinião pública. Senador Ronaldo Caiado (D) conseguiu acesso em primeira mão ao pedido formulado no TRF-4 por um consultor paulista em suposta defesa do ex-presidente (E).

Confiança no Judiciário em queda

O Índice de Percepção do Cumprimento das Leis, mensurado pela FGV Direito SP, concluiu que, entre negros e pardos, a credibilidade é ainda menor, se comparada com as respostas dadas por brancos e amarelos.

Câmara Federal

Morreu o “presidente Mombaça”

 

Morreu o “presidente Mombaça

Advogado e ex-deputado federal Antônio Paes de Andrade faleceu aos 88 de idade. Quando 1º secretário da Câmara Federal, num dos impedimentos de José Sarney, convidou parentes, aliados e amigos para voar no avião presidencial até a cidade de Mombaça (CE), onde queria voltar como presidente da República.