Ir para o conteúdo principal

Quinta-feira , 23 de Fevereiro de 2017

Cândido Silva Leal Junior é nomeado desembargador do TRF-4



Base de dados EV

Imagem da Matéria

Cândido: o mais jovem da corte

O juiz federal Cândido Alfredo Silva Leal Junior foi nomeado ontem (28) para o cargo de desembargador do TRF da 4ª Região. O decreto assinado pela presidente da República, Dilma Rousseff, foi publicado no Diário Oficial da União.

Ele ocupará a vaga decorrente da aposentadoria da desembargadora federal Silvia Maria Gonçalves Goraieb, ocorrida em dezembro de 2011.

Cândido Alfredo, 42 de idade, é o mais jovem magistrado da corte.  Ele carrega a fama de ser um grande estudioso, não só das letras jurídicas, mas também da Filosofia e da Informática -  essencial para quem opera somente no processo eletrônico. "Na sua cidade natal, Santa Maria (RS), era tido como um dos alunos mais brilhantes do curso pré-vestibular e da universidade local; e ele teve a quem puxar, pois ´Candinho´, seu pai, exerceu a promotoria pública do município com talento" - depõe o jornalista Jomar Martins, correspondente (RS) do saite Consultor Jurídico.

A cerimônia de posse será realizada no dia 22 de junho. O magistrado, que já vem atuando no tribunal como convocado, é natural de Santa Maria (RS) e tem 42 anos. Formado em Ciências Jurídicas e Sociais pela Universidade Federal de Santa Maria em 1992, é especialista em Direito Processual Civil e em Direito Sanitário e mestre em Filosofia.

Ingressou na magistratura federal em setembro de 1993, tendo atuado inicialmente na 18ª Vara Federal de Porto Alegre e depois na 5ª Vara Federal de Porto Alegre, posteriormente transformada em Vara Federal Ambiental, Agrária e Residual da capital gaúcha.

É vice-presidente de Patrimônio e Finanças da Associação dos Juízes Federais do RS.

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Romero Jucá diz que “foro não pode ser suruba selecionada

Líder do governo no Congresso reage à disposição de ministros do STF de restringir a prerrogativa de políticos no “foro privilegiado”. E parlamentares – em apoio ao senador de Roraima - ameaçam tirar benefício dos magistrados.

Frases irreprimíveis da semana passada

“Juiz de Direito não é editor de órgão de imprensa” – diz desembargador do TJ-DFT, ao cassar decisão de censura judicial às publicações de jornais sobre o hacker que clonou o celular de Marcela Temer.

Censura judicial sobre os jornais O Globo e Folha de SP

Ação foi movida na sexta-feira pelo subsecretário de assuntos jurídicos da Presidência da República, brecando publicação de matérias sobre extorsão de hacker a Marcela Temer. Liminares foram cumpridas ontem (13).

O machismo que constrangeu Ellen Gracie no Senado

Enquanto Alexandre de Moraes (PMDB-SP) faz o périplo do “beija-mão” para chegar ao Supremo, jornalistas de boa memória recordam os constrangimentos passados por Ellen Gracie, em novembro de 2000. O então senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR) – médico de profissão – saudou-a dizendo que “como ginecologista, aprendi a lidar de perto com as mulheres, entendendo muito profundamente a sensibilidade feminina".