Ir para o conteúdo principal

Terça-feira, 28 de Março de 2017

Diário Oficial publica os nomes de oito novos desembargadores do TRT da 4ª Região



O Diário Oficial da União publicou na sexta-feira (25) a nomeação de 17 novos desembargadores de Tribunais Regionais do Trabalho.  Os nomes pertencem a nove das onze listas de desembargadores de regionais que estavam pendentes de nomeação pela Presidência da República.  
 
Confira os novos desembargadores da 4ª Região (RS)

- Herbert Paulo Beck (Titular da Vara do Trabalho de Farroupilha/RS), para o cargo de juiz do TRT da 4ª Região;

- Rejane Souza Pedra (Titular da 4ª Vara do Trabalho de Novo Hamburgo/RS), para o cargo de juíza do TRT da 4ª Região;

- Francisco Rossal de Araújo (Titular da 16ª Vara do Trabalho de Porto Alegre/RS), para o cargo de juiz do TRT da 4ª Região;

- Maria Madalena Telesca (Titular da 22ª Vara do Trabalho de Porto Alegre/RS), para o cargo de juíza do TRT da 4ª Região;

- Maria Helena Lisot (Titular da 10ª Vara do Trabalho de Porto Alegre/RS), para o cargo de juíza do TRT da 4ª Região;

- George Achutti (Titular da 15ª Vara do Trabalho de Porto Alegre/RS), para o cargo de juiz do TRT da 4ª Região;

- Íris Lima Moraes (Titular da 1ª Vara do Trabalho de Gramado/RS), para o cargo de juíza do TRT da 4ª Região;

- Marcelo Gonçalves de Oliveira (Titular da Vara do Trabalho de Lagoa Vermelha/RS), para o cargo de juiz do TRT da 4ª Região.

Outras nomeações
 
- Marcello Maciel Mancilha (Titular da 13ª Vara do Trabalho de Vitória/ES), para o cargo de Juiz do TRT da 17ª Região, na vaga decorrente da aposentadoria do Juiz Sérgio Moreira de Oliveira;

- Armando Augusto Pinheiro Pires (Titular da 2ª Vara do Trabalho de São Caetano do Sul/SP), para o cargo de Juiz do TRT da 2ª Região, na vaga decorrente da aposentadoria do Juiz Décio Sebastião Daidone;

- Francisco José Pinheiro Cruz (Procurador do Trabalho da 14ª Região/RO), para o cargo de Juiz Togado do TRT da 14ª Região, na vaga decorrente da aposentadoria do Juiz Heraldo Fróes Ramos;

- Sayonara Grillo Coutinho Leonardo da Silva, para o cargo de Juíza do TRT da 1ª Região/RJ, em vaga destinada a advogado, decorrente do falecimento do Juiz José Maria de Mello Porto;

- Cláudia de Souza Gomes Freire (Titular da 76ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro), para o cargo de Juíza do TRT da 1ª Região, em vaga decorrente do falecimento do Juiz Luiz Carlos Teixeira Bonfim;

- José Eduardo de Resende Chaves Júnior (Titular da 21ª Vara do Trabalho de Belo Horizonte/MG), para o cargo de Juiz do TRT da 3ª Região, na vaga decorrente da aposentadoria do Juiz Antônio Álvares de Almeida;

- Ana Paula Tauceda Branco, para o cargo de Juíza do TRT da 17ª Região/ES, em vaga destinada a advogado;

- Paulo Canagé de Freitas Andrade (Titular da 12ª Vara do Trabalho de Goiânia/GO), para o cargo de Juiz do TRT da 18ª Região;

- Audaliphal Hildebrando da Silva (Procurador do Trabalho da 11ª Região/AM), para o cargo de Juiz do TRT da 11ª Região.

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

O recuo que virou avanço

Luiz Fux reconsidera decisão sua e admite o cumprimento imediato da pena de magistrado condenado criminalmente. A Associação dos Juízes Federais festeja.

Advogado compara juízes a insetos

Causídico também disse que postura de juiz – que não atendera pedido de gratuidade de uma cliente - era "irritante" e que julgador "pensa que é Deus".

Mensagens no WhatsApp para negociar liminares em habeas corpus

A Corte Especial do STJ tornou réus o desembargador Carlos Rodrigues Feitosa, do TJ do Ceará e sete advogados acusados de negociar decisões judiciais para soltar criminosos durante os plantões do Poder Judiciário em Fortaleza. Negociações chamadas de “oferta imperdível” envolviam pagamentos de R$ 70 mil a R$ 150 mil. Num dos casos, chegou a R$ 700 mil.

Juízes do Trabalho reagem contra “críticas irresponsáveis” de Rodrigo Maia

Em nota, magistrados afirmam que “em 2015, 11,75% (4.980.359 processos) do total de novas ações ingressadas no Poder Judiciário representaram as ações relativas ao pagamento de verbas rescisórias, dado que revela o quanto a Justiça do Trabalho é imprescindível em um país desigual e injusto”.