Ir para o conteúdo principal

Sexta-feira , 24 de Junho de 2016.

Daniela Mercury quebra o protocolo ao cantar na posse de Ayres Britto no Supremo



A cantora Daniela Mercury deu o tom informal da cerimônia de posse do ministro Carlos Ayres Britto como presidente do STF, na quinta-feira (19), no edifício sede da corte, em Brasília. Coube à baiana cantar o Hino Nacional.

Vestida com camisa de seda azul brilhante e saia preta justa, cabelos presos num coque, ela leu um trecho de um dos versos de Ayres Britto antes de cantar. No texto, o presidente-poeta se define não como um camaleão, mas como um pirilampo (vaga-lume).

Acostumada a agitar multidões ao som de axé music, a cantora quebrou o protocolo e pediu para que a plateia acompanhasse os versos. “Cantamos juntos"?, conclamou interrogativa.Convidados - entre os quais a presidenta Dilma - e ministros, que não estão acostumados a tamanha informalidade, acompanharam timidamente os versos cantando baixinho.

Nos bastidores do STF, Daniela Mercury foi comparada à cantora Vanusa, que errou os versos do Hino Nacional em um evento (1º Encontro Estadual de Agentes Públicos, 11 de março de 2009, na AL-SP).  O vídeo se tornou um viral na Internet.

No caso da baiana Daniela, não se tratou de um erro. A voz falhou e ela não conseguiu cantar um trecho do Hino Nacional.

Veja as imagens e ouça o som de Daniela Mercury cantando.

O fiasco de Vanusa - Recorde as imagens e o áudio.

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Com dívidas de R$ 65 bilhões, Oi pede recuperação judicial

A maior empresa de telefonia fixa no Brasil perdeu participação no mercado desde a compra da Brasil Telecom, em 2009. É o maior pedido de recuperação judicial já protocolado no Brasil, recorde que pertencia à OGX, de Eike Batista, com dívidas de R$ 11,2 bilhões.

Depois dos “bandidos de toga” de 2010 a 2012...

...Novas denúncias envolvem magistrados do Amazonas, Alagoas e Tocantins. E é mantida, pelo STJ, a preventiva de juiz aposentado de Minas Gerais, que está preso há quase dois anos em Porto Alegre, acusado pela morte da esposa.

Cuidado, o motel pode ser vulnerável a olhares voyeuristas!

Com lançamento nos EUA em julho e no Brasil em setembro, o livro “O voyeur do motel” conta a história – dita real – do dono de um estabelecimento de hospedagem, nos EUA que, durante décadas, espionou os clientes. A narração vai desde os tradicionais relatos de encontros furtivos entre chefes e suas secretárias, até histórias de sexo grupal relatadas em detalhes.