Ir para o conteúdo principal

Sexta-feira , 29 de Abril de 2016.

Agarrado na escada



Romance Forense

O prédio da Justiça do Trabalho possui paredes envidraçadas do chão ao teto e quem nele circula tem uma ampla visão da vida acontecendo lá embaixo, na rua.

Aberta a audiência, o reclamante e sua advogada não comparecem. Por cautela, a juíza pede à secretária que a chamada seja repetida.

Nada.

A magistrada prepara-se, então, para determinar o arquivamento da demanda, afinal o reclamante fora regularmente notificado.

Quando a digitação da ata está sendo feita, a advogada adentra abruptamente e, ofegante, declara, constrangida:

- Peço desculpas a todos, mas a situação é peculiar. O reclamante tem fobia de altura e de elevador, quando chegou aqui no andar da Vara foi para a escadaria interna do prédio, desceu dois andares e de lá não quer sair. Tentei, insisti, mas não adianta.

Ante o inusitado, todos dirigem-se à escadaria, à procura do reclamante. Dois lances abaixo, lá está o homem, agarrado ao corrimão. Juíza, secretária, advogadas e reclamado o cercam.

- Daqui eu não saio, daqui ninguém me tira – diz o trabalhador.

- Mas nós só estamos esperando pelo senhor. Vamos subir juntos, garanto que nada de ruim vai lhe acontecer – a juíza pondera.

A secretária tenta ajudar:

- O prédio é seguro, centenas de pessoas vêm todos os dias aqui...

- Doutora, daqui eu não saio, daqui ninguém me tira – repete o reclamante. Eu desisto de tudo. Só quero ir embora pra casa, me ajudem! – completa, trêmulo.

- Proponho que voltemos para a sala e que, encerrada a audiência, a assinatura do reclamante seja colhida aqui. Há algo a opor?  - propõe a magistrada, no saguão do andar subitamente transformado em local de proposições de solidariedade.

Com a concordância de todos, a juíza, ao ditar o texto para a ata, faz constar o incidente detalhadamente: “Pálido e trêmulo, o reclamante não largava o corrimão da escada, e nenhuma palavra de confiança, de tantas que lhe foram ditas, o convenceram a sair dali”.

Ato contínuo, quando da designação da nova data, a magistrada determina que o incidente seja comunicado à direção do foro a fim de que a audiência seja realizada em outra sala, que não seja nas alturas.

Assim acontece, cerca de um mês depois. Na audiência, as partes fazem acordo.

Numa sala do andar térreo.


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Charge de Gerson Kauer

Escapadinha no motel

 

Escapadinha no motel

Casal sem filhos, o Péricles e a Luiziana viviam bem, no seu casamento de três anos. Mas, um dia, se desavieram; ela saiu de casa e foi morar com a mãe. Era uma separação de fato. Foi então que ela reencontrou um ex-namorado e resolveu recordar profundas intimidades. O desfecho foi no WhatsApp.

Charge de Gerson Kauer

A mulher do padre

 

A mulher do padre

Ela cuidava do religioso e das coisas da igreja desde 1973. Eles frequentavam, juntos, assembleias religiosas, jantares, eventos, aniversários, etc. Em 1994, os dois passaram a morar sob o mesmo teto.

Charge de Gerson Kauer

Promotorite vexaminosa

 

Promotorite vexaminosa

Os operadores jurídicos estão intrigados com o agir do único promotor de justiça da comarca. Ele dirige seu carro usando um capacete, como se fosse piloto de Fórmula 1. Quando almoça ou janta em restaurantes, sempre determina que seus acompanhantes, antes, provem sua comida e bebida, com medo de ser envenenado.

Charge de Gerson Kauer

O Excelentíssimo Juiz Justimiano

 

O Excelentíssimo Juiz Justimiano

Empossado e designado para uma comarca interiorana, o magistrado logo decidiu manter-se afastado de maior contato com advogados. Estes seriam recebidos, fora das audiências, apenas nas quintas-feiras, das 18 às 18h30. Em casa, a esposa do juiz – quando recebia suas amigas - referia-se a ele como “Sua Excelência”.

Charge de Gerson Kauer

A porta de entrada e a porta de saída

 

A porta de entrada e a porta de saída

Certa vez, o cantor Roberto Carlos foi a uma missa católica em Los Angeles, e passou tempo demais rezando. O padre encerrou a cerimônia, quase todos saíram, as luzes foram sendo apagadas, ficaram só Roberto e o sacristão. Foi então que este fechou a porta principal da igreja...

Auxílio-moradia para advogado e filho

 

Auxílio-moradia para advogado e filho

Um jovem estudante prestes a fazer o vestibular de Direito envia um requerimento ao responsável pela dispensa do serviço militar. Tem seu pedido deferido e ainda recebe a seguinte sugestão: “Tal como conseguiram alguns juízes, sugiro que o requerente e seu pai tentem obter, talvez com a compreensão jurisdicional de algum ministro do Supremo, um ´auxílio-moradia´ em duplicidade: seriam R$ 8.755,46 mensais livres de tributação”...