Ir para o conteúdo principal

Sexta-feira , 27 de Maio de 2016.

Adivinhem o nome da praia!...



Romance forense

Charge de Gerson Kauer

Imagem da Matéria


O ambiente é uma aprazível praia nordestina. Os personagens não são turistas, mas três nativos dali: 1) Marisa, camareira de um conceituado resort; 2) Samuel, suboficial da Marinha; 3) e Jackie que trabalha como guia turística. Os nomes, aqui, são fictícios.

Numa tarde do verão, reformulada a escala de trabalhos do resort, Marisa foi liberada mais cedo, com o compromisso de, no dia seguinte, apresentar-se duas horas antes. Chegando em casa, ao girar a chave na porta, a camareira escutou sussurros vindos do quarto do casal. Nada levando-a a acreditar que estivesse a dois passos de constatar um adultério - ela chegou a supor que sua casa tivesse sido invadida.

Marisa sabia onde, disfarçadamente enrolado em meio a roupas, numa gaveta da peça ao lado, estava o revólver protetor.  Deu, então, de mão na arma, meteu o pé na porta e...surpresa!

Encontrou o marido Samuel e a guia Jackie em romance adúltero, praticado sobre lençóis não tão alvos e engomados como os do resort onde ela estendia as peças com competência.

A ideia da vingança foi instantânea, embora - para a consumação - Marisa (paraibana de nascimento) tivesse tido que pedir ajuda para amigas vizinhas da ruela apertada.

"As duas vítimas foram obrigadas a andar nuas, com as mãos atadas nas costas, pela ruas da localidade"  - foi uma das frases do relatório do inquérito encaminhado ao juiz da comarca. Tem também os depoimentos dos envolvidos e das testemunhas.  O delegado caprichou no relatório:

"Esta D.P. recebeu um  telefonema sobre o cometimento de atentado violento ao pudor que estaria ocorrendo, tendo em vista que um casal - sob a ameaça de um revólver, ostentado por uma mulher, caminhava amarrado, sem roupas, por ruas centrais. Despachada uma viatura, o inspetor Miguel constatou que o crime era outro, com o cometimento de grave ameaça perpetrada pela vítima de suposto adultério, que obrigou seu marido e a amásia a caminharem despidos. Todos foram conduzidos na viatura, sendo por esta autoridade mandadas buscar roupas nas casas dos envolvidos. Após tomados seus depoimentos, foram as partes liberadas".

Entendendo que estavam diante de dois delitos de menor potencial ofensivo, promotor e juiz conduziram o caso até o desfecho da transação penal, até porque Samuel e Marisa trocavam acusações no conflituoso terreno da (in) fidelidade conjugal. O casal, assim, se separou.

No cartório judicial da comarca pernambucana - que fica a 30 quilômetros do local dos fatos - conta-se uma piada em cima do caso arquivado: "esta é uma história de galinhas". Talvez tenha tudo a ver com o nome da badalada praia onde ocorreram os fatos.

A propósito: tem agências de viagens anunciando pacotes turísticos para a Páscoa em Porto de Galinhas (PE). Quem se habilita?

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Charge de Gerson Kauer

Bruna surfistinha, a estagiária gaúcha

 

Bruna surfistinha, a estagiária gaúcha

Na empresa especializada em “conceder créditos sem que o cliente tenha que sair de casa”, a jovem estagiária tinha – ante a anunciada vocação de ser juíza - a incumbência de examinar os cadastros dos interessados na grana a ser emprestada, e na formalização das garantias. O dono da ´financeira´ também estava de olho nela...

Charge de Gerson Kauer

Casado à noite, mas solteiro à tarde...

 

Casado à noite, mas solteiro à tarde...

O ´Excelentíssimo Senhor Operador Jurídico´ exercia sua bem remunerada profissão com as confortáveis achegas de criticados penduricalhos. Como era possível não ser assíduo ao trabalho, ele eventualmente usava o horário vespertino para praticar o nobre esporte dos leitos.

Charge de Gerson Kauer

O gigolô da campeã de vendas

 

O gigolô da campeã de vendas

A inusitada avaliação pública do diretor, no Brasil, de um grande laboratório multinacional, ao premiar sua melhor vendedora. “Ela só não é perfeita porque se submete aos caprichos do seu namorado, aqui presente, que nada mais é do que um barato e desligado explorador... um rotundo gigolô!”

Charge de Gerson Kauer

Petição de falecimento

 

Petição de falecimento

Para defender seu cliente, erradamente alvo de uma citação com hora certa, o advogado não poupou críticas ao auxílio-moradia dos magistrados e ao poder dos estagiários. Quanto ao efetivo executado, a petição foi candente: “a robustecida alma do pobre devedor, ora se banha na estanhada lisura das águas tépidas do luzente lago, onde o cisne do espírito se nutre naquilo que, comumente, chamamos de eternidade”.

Charge de Gerson Kauer

Escapadinha no motel

 

Escapadinha no motel

Casal sem filhos, o Péricles e a Luiziana viviam bem, no seu casamento de três anos. Mas, um dia, se desavieram; ela saiu de casa e foi morar com a mãe. Era uma separação de fato. Foi então que ela reencontrou um ex-namorado e resolveu recordar profundas intimidades. O desfecho foi no WhatsApp.

Charge de Gerson Kauer

A mulher do padre

 

A mulher do padre

Ela cuidava do religioso e das coisas da igreja desde 1973. Eles frequentavam, juntos, assembleias religiosas, jantares, eventos, aniversários, etc. Em 1994, os dois passaram a morar sob o mesmo teto.