Ir para o conteúdo principal

Sexta-feira , 12 de Fevereiro de 2016

Sexo a três



Romance forense

Charge de Gerson Kauer

Imagem da Matéria


Esta é contada em corredores da Ordem, discorrendo sobre a vida de um homem, chegado às letras jurídicas, 56 de idade, viúvo. Ele é habituê de saídas às sextas-feiras em tentativas de refazer a vida social e arrumar companhia social e sexual.

Num ambiente desses de encontros da terceira idade ele conhece uma mulher - digamos - bonita, bem conservada, um ano mais velha do que ele. Prestem atenção: este detalhe etário é fundamental.

Ela puxa conversa e aparenta ser interessante. As horas avançam, eles libam bom uísque, a conversa avança e chega ao tema sexual...

Mais diálogos e ambos admitem uma relação mais íntima. Fantasiam também... Ela pergunta o que ele acha de uma transa a três.

O cidadão acha o máximo, diz que não tem problema, pensa ter tirado a sorte grande. Vem a sugestão de irem ao apartamento dela.

Atenção! É aí que a coisa começa a ficar perigosa.

Entrando no apê, ela tranca a porta e grita:

- Mãeeee, chegamos!!!...


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Os advogados pamonhas

 

Os advogados pamonhas

Aborrecido de ver petições avaliadas e despachadas pela ´estagiariocracia´ e/ou pela ´assessorcracia´, profissional da Advocacia dedica um tópico inteiro na apelação para explicar como se faz a pamonha: uma iguaria de milho oriunda da culinária indígena. O acórdão passou em branco sobre a provocação.

O juiz que não gostava de processos

 

O juiz que não gostava de processos

Depois de tanto ´empurrar para adiante´ a solução do litígio judicial, o magistrado leu surpreso o que não esperava que um dos advogados escrevesse em letras vermelhas: “As partes já cansaram de dizer; por isso, diga agora o juiz quando vai prolatar a sentença".

Morto e soterrado sob a frialdade da terra

 

Morto e soterrado sob a frialdade da terra

Até o juiz que julgou extinto o executivo fiscal se emocionou, no final, com a petição que alfinetava o credor. Magistrado escreveu que “Deus tenha acolhido a alma do suposto devedor e que o credor conforme-se com o insucesso executivo”.

Uma esmola de 300 reais

 

Uma esmola de 300 reais

O desfecho inusitado de uma audiência na Justiça do Trabalho. O aquinhoado reclamado aceita a solução conciliatória sugerida pelo magistrado, tira o dinheiro do bolso e ofende: “Dou trezentos pilas para esse morto de fome”...

O inimigo secreto

 

O inimigo secreto

Como a festa de troca de presentes no Natal de 2014, entre 20 integrantes de uma grande banca advocatícia gaúcha, se transformou num caso judicial. Resultado: a condenação de um advogado a indenizar uma estagiária de meia idade, inapropriadamente chamada de “anta feia como o diabo”.