Ir para o conteúdo principal

Terça-feira, 01 de Setembro de 2015


Envie seu Comentário

Comentário
Mensagem (Máximo 500 caracteres)
Código de segurança

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Arte EV sobre foto Camera Press

Uma bomba jurídica no colo de Sartori

 

Uma bomba jurídica no colo de Sartori

Advogada gaúcha ingressa com denúncia por crime de responsabilidade.  Legislação aplicável prevê que o governador do RS poderá perder o cargo, com inabilitação até cinco anos, para o exercício de qualquer função pública, sem prejuízo da ação da justiça comum.

Charge Zun.Com.Br

O advogado burro e o deputado (in) escrupuloso

 

O advogado burro e o deputado (in) escrupuloso

A contestação a uma ação de despejo foi reveladora de que seu signatário não tinha o mínimo de formação cultural.  “O primarismo é palmar, de ignóbil nível de conhecimento jurídico, com erros crassos de português” – informou o juiz à OAB.

Condenação de escrivã por demora cartorária

Cidadão condenado em ação de despejo ficou com sua conta bancária – em que recebia salários – bloqueada por vários meses, porque cartório não expediu ofício de liberação, que fora determinado pelo juiz. Mas a ação indenizatória contra a demora já dura seis anos e cinco meses.

Arte EV sobre foto da Gazeta do Povo

Justiça gratuita ´vip´

 

Justiça gratuita ´vip´

Presidente do TJ de São Paulo, desembargador José Renato Nalini, obtem “diferimento”. Em uma ação de cumprimento de sentença, que move contra o Banco do Brasil, cobrando R$ 467 mil, vai pagar as custas processuais só no final do processo.

Acórdãos da Justiça Federal que ainda não consegui entender”!

Advogado comenta a discrepância – num mesmo processo – da fixação de honorários sucumbenciais.  “Quando a autora deveria pagar, o percentual de 10% se mostrava adequado... Quando o encargo era da União, 1% estava de bom tamanho... E para completar a falta de parâmetros, a Fazenda Pública deve pagar R$ 10 mil  a entidade que conseguiu sua exclusão da lide.  São decisões que, entre si cotejadas, ainda não consegui entender”...