Potins desta sexta-feira


 Só pra comparar

Como se diz na gíria, alguns advogados – contratados por astutos empresários e espertos políticos - “lavaram a égua” em 2017 e estão mais ricos. Segundo o arrecadado pela Receita Federal, os serviços de advocacia pagaram, nos dez primeiros meses deste ano, R$ 3,9 bilhões de Imposto de Renda.

Simultaneamente, o setor de extração de minério de ferro contribuiu com... R$ 3,9 bilhões. E lembrem que, nesse campo, o Brasil é uma potência mundial.

Na “rádio-corredor” da OAB-RS um advogado – que faturou pouco este ano – comparava ontem que “um habeas corpus vale mais que todas as outras coisas”.

• A frase do ano

Muito a propósito, genial tirada do jornalista sergipano Ancelmo Gois, nesta quinta (21) em sua coluna em O Globo.

Textualmente: “Em tempos de retrospectiva – e num país com tanta impunidade – a frase do ano de 2017 tem duas palavras, onze letras e autor notório. É campeã”.

Objetivamente: GILMAR SOLTA.

 GPS judiciário

Para lembrar, GPS é a sigla de Global Positioning System, que em português significa “Sistema de Posicionamento Global”, e consiste numa tecnologia de localização por satélite.

Pois o CNJ promete, para 2018, um GPS judiciário: diz que vai acompanhar as idas e as (demoradas) voltas de magistrados brasileiros que se afastam de suas áreas de jurisdição por diferentes e exóticas razões.

Do apreciado Sérgio Moro ao mais desconhecido (mas cacifado) juiz, todos saem sem prejuízo de suas remunerações; alguns ganham até benefícios extras no exterior. O curso de Teologia – muito utilizado para reduzir penas de presos da Lava-Jato, aparece entre as opções para licenças remuneradas. No Ministério Público e na Advocacia-Geral da União a situação é semelhante.

Papai Governo paga tudo.

 Mais enteados

A Fundação Getúlio Vargas revelou, esta semana, recente tabulação sobre a composição atual dos domicílios no Brasil: a) 12,72% são filhos de uma só pessoa do casal; b) 22,2% são filhos de ambos.

A grande mudança sociológica é que em 2012 os filhos do casal eram 24,9%; e os enteados, 12,29%.

 O pânico de Silvio

Fica para 2018 o julgamento no STJ dos recursos especiais de ação indenizatória, contra a Rádio e Tv Bandeirantes, em que Silvio Santos pede indenização pela imitação jocosa que faziam dele no programa “Pânico na Tv”. Alegadamente, a sátira teria sido “de tom jocoso e ofensivo, com trucagem de voz”.

A Justiça paulista deferiu R$ 200 mil. As duas partes recorreram.

A tartaruga forense já tem quatro anos de vagarosa caminhada; desta, 13 meses no STJ. (REsp nº 1678441).

 Ressaca da Odebrecht

Marcelo Odebrecht – após temporada de dois anos e meio na prisão – está tomando contato epidérmico com uma situação muito diferente do grupo e constatando que quem comprou um ´bond´ da empresa de US$ 100 mil em 2010, agora, sete anos depois, tem apenas US$ 31 mil.

O quadro traz a seguinte ressaca financeira:
1) Afetação do fluxo de caixa;
2) Queda de capacidade de novos investimentos;
3) Proibição de a empresa participar de licitações no México e no Peru.

A propósito, a Odebrecht tocava obras de US$ 28 bilhões em 2015, quando Marcelo foi preso. Mas no final do primeiro semestre de 2017, estava com US$ 15 bi em contratos. A dívida líquida que era menos de uma vez a geração operacional de caixa, pulou para 5,8 vezes.

E a notoriedade pelas suas ligações com os corredores da corrupção fechou portas e abriu dificuldades para novos negócios com entes públicos.

 Direito de pergunta

Depois de, com uma penada individual, Gilmar Mendes haver proibido a condução coercitiva, quantos meses o Supremo levará para derrubar ou confirmar a decisão?
Constatação: pelo menos até meados de fevereiro a voz (enfraquecida) da Corte será confundida com a opinião de pelo menos três de seus ministros.

 Querido Papai Noel

“Se Papai Noel existe mesmo, bem que ele poderia convencer liminarmente Gilmar Mendes a se aposentar ainda em 2017”.

(Das redes sociais, pouco depois de o ministro do STF, na terça-feira (19) ter tomado várias decisões que enfraquecem a Lava Jato).