Porto Alegre, 07.06.13 - Criação de Marco Antonio Birnfeld - Tel. (51) 32 32 11 00 - 123@espacovital.com.br
|
Google
Página inicial
Imprimir
Enviar
Aumentar fonte
Fonte padrão
Diminuir fonte
Compartilhar nas redes sociais
98,9% dos advogados consideram lenta a Justiça brasileira

(16.03.12)

Apenas 1,1% dos advogados brasileiros consideram "rápida" a Justiça do país rápida. Dos 98,9% restantes, 30,4% definiram-na como "lenta" e 68,5%, como "muito lenta".

Os resultados são de uma pesquisa realizada pela Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP de Ribeirão Preto (SP). Quinze mil advogados foram consultados durante o segundo semestre de 2011.

Questionados sobre as causas da morosidade, os motivos mais apontados pelos advogados foram: a) a insuficiência do número de servidores públicos; b) a falta de infraestrutura do Judiciário; c) o excesso de burocracia; d) a falta de empenho dos servidores.

A partir dos resultados da pesquisa, a Fundace elaborou também um "índice de confiança" dos advogados na Justiça.

Composto por sete indicadores (igualdade de tratamento, eficiência, honestidade, rapidez, custos, acesso e  evolução do sistema nos próximos cinco anos), o índice teve uma queda de 4,6% em comparação com a pesquisa anterior. No primeiro semestre de 2011, o índice de confiança fora de 32,7%. Agora, a confiança dos advogados na Justiça foi estimada em 31,2%.

Mais detalhes

* A maior queda foi no indicador de igualdade de tratamento que ficou 11,2% menor em relação à primeira pesquisa, indo de 27,8 pontos para 24,7.
     
* O indicador melhor avaliado passou a ser a honestidade da Justiça brasileira, com 44 pontos - mas, ainda assim, longe do teto (100).
     
* Na pesquisa anterior, o indicador melhor avaliado era justamente o que sondava a evolução da justiça para os próximos cinco anos. Porém, com redução de -10,2%, a percepção da melhor evolução caiu de 48,2 para 43,3 pontos, ficando desta vez na segunda posição.
     
* Na segunda edição do ICAJ/Fundace, o indicador rapidez continuou sendo o pior avaliado com uma queda de -8,4%, chegando aos 10,9 pontos.
     
Diferenças regionais
     
* Na região Norte do país, 51,2% dos advogados consideram a falta de empenho a segunda causa mais importante para a morosidade. A insuficiência de servidores públicos é apontada como principal problema em todas as regiões no país com exceção do Sudeste onde 57,9% dos entrevistados apontaram a gestão ineficiente dos recursos como principal causa da morosidade.
     
* Outra diferença regional é com relação à abundância de burocracia, que é apontada como uma das causas negativas para os advogados do Sul.

Para acessar o saite do Jornal do Comércio (RS), clique aqui.

Página inicial
Voltar ao topo
Imprimir
Enviar
Aumentar fonte
Fonte padrão
Diminuir fonte
5 comentários
Vitelio Valcarenghi (advogado)
Postado em 19.03.12 - 16:14:49

Realmente, o problema da morosidade do Judiciário somos nós advogados... Vamos eliminar as férias de dois meses dos advogados, o feriado do Dia do  Advogado que somente é usufruído pelos servidores da Justiça, as greves dos advogados, as licenças dos advogados e tudo estará resolvido! Peço que façam um cálculo de quantos dias foram trabalhados, na Justiça Federal, no ano de 2011, entre férias, greves etc. !
José Augusto Costa Ribeiro (servidor público)
Postado em 16.03.12 - 22:36:42

O cipoal de recursos e medidas protelatórias ninguém fala. Claro, não convém criticar o que pode ser ruim num primeiro momento, mas útil logo ali adiante. Criticam de forma hipócrita, seletiva e corporativista. Se é assim, também acho que tem muito advogado. Se tivesse menos a Justiça não seria tão lenta. E se fossem mais preparados a Justiça não demoraria tanto para entender o que eles pleiteiam em suas petições, muitas destas incompreensíveis, absurdas e, não poucas, crivadas de erros.
Antonio Dante Brognoli Neto (engenheiro civil)
Postado em 16.03.12 - 18:48:09

101% dos brasileiros consideram a (IN)justiça do Brasil estupidamente lenta, inoperante e provocativa.
Hugo Rodrigues dos Santos (servidor público)
Postado em 16.03.12 - 12:22:54

É fácil acomodar-se sobre o próprio apêndice, ocultando-o, e atribuir responsabilidades a outrem. ´Esquecem-se´ os ´nobres´ causídicos e, de resto, a ´nobre´ mídia, ´formadora´ de opinião (hum!!!!), de destacar uma das principais razões da morosidade da justiça: o grande número de manobras recursais, não raro, meramente protelatórias, engendradas pelos tais... Assim são os ´homens´. Uma lástima...
Rejane Fernandes (servidora da Justiça)
Postado em 16.03.12 - 12:06:00

Tenho mais algumas causas para a lentidão da justiça: advogados despreparados e sem qualificação, recursos protelatórios e a criação de demandas judiciais em massa que poderiam ser resolvidas no âmbito administrativo, o que certamente não agrada aos advogados, pois tais ações são certamente um enorme nicho de mercado para seus escritórios.
|
(Horário de Brasília)
Av. Praia de Belas, 2266, 8º andar - Cep: 90110-000 - Porto Alegre - RS - Brasil
Desenvolvido por Desize.